X
Esportes

Na estreia de Ceni, São Paulo empata com Ceará e amarga 6ª igualdade consecutiva

Nem o retorno de Rogério Ceni como técnico foi capaz de ajudar o São Paulo a quebrar a sequência de tropeços

São Paulo não consegue espantar a má atuação / Paulo Pinto / SPFC

Nem o retorno de Rogério Ceni como técnico foi capaz de ajudar o São Paulo a quebrar a sequência de tropeços. No primeiro jogo da segunda passagem do ex-goleiro pelo Morumbi, para substituir Hernán Crespo, o time tricolor empatou por 1 a 1 com o Ceará em casa, na noite desta quinta-feira, amargando o sexto empate consecutivo no Brasileirão, marca negativa que nunca havia atingido em sua história. Fabinho abriu o placar para os cearenses e Calleri, em lance de oportunismo, foi o autor do gol são-paulino.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.


A série inédita de igualdades impede o São Paulo de progredir na tabela do Brasileirão. Após 26 jogos, soma 31 pontos e ocupa o 13º lugar, ainda próximo da zona de rebaixamento e distante da zona de classificação à Libertadores. O Ceará aparece na sequência, com 30 pontos, em 14º.

Da beira do gramado, Ceni viu uma boa atuação ofensiva de seus comandados, com grande volume de jogo, especialmente no primeiro tempo. Mas o São Paulo se expôs demais, teve de correr muito para conseguir o empate e só não saiu de campo derrotado graças a Tiago Volpi, que salvou os donos da casa no Morumbi com ao menos três defesas importantes. O resultado não foi bom para ninguém, mas os 9.271 torcedores no Morumbi assistiram a um jogo de bom nível técnico, aberto, com intensidade e muitas finalizações. Ao todo, foram 36 arremates dos dois times.

Escalado com uma formação ofensiva por Ceni, apenas com Liziero como volante, Benítez de volta ao time e Orejuela na lateral-direita, o São Paulo fez um bom primeiro tempo. Mas faltou equilíbrio e capricho nas finalizações. O time criou chances em profusão para abrir o placar. No entanto, se expôs e o Ceará aproveitou uma das poucas oportunidades que teve para marcar. Foi um roteiro semelhante ao de jogos recentes, sob o comando de Crespo.

Igor Gomes levou perigo em chute colocado que obrigou Richard a fazer boa defesa e também em arremate na trave. O São Paulo teve grande volume de jogo, mas não teve sorte em alguns momentos nem efetividade no ataque. Isso sobrou ao time cearense, que fez Volpi trabalhar com Kelvyn e balançou as redes aos 22 minutos. Fabinho foi o autor de um golaço no Morumbi. Ele pegou rebote da entrada da área e bateu de primeira, no ângulo direito.

Os donos da casa se mostraram tensos após levar o gol. Ainda assim, construíram boas tramas ofensivas para ao menos empatar. Calleri cabeceou por cima do gol após escanteio e Luciano, depois, teve três chances. Nos acréscimos, quase veio um castigo para o time de Ceni. Cléber cabeceou forte após cruzamento de Vina, mas Tiago Volpi salvou a equipe com o auxílio da trave.

O roteiro seguiu quase o mesmo no segundo tempo. O Ceará, aproveitando os espaços deixados pelo rival, chegou mais vezes no contra-ataque, mas não marcou o gol ou gols que sacramentariam um triunfo importante fora de casa. Cléber recebeu o cruzamento rasteiro de Marlon na área e teve em seus pés a oportunidade de fazer 2 a 0, mas Volpi, tão criticado por falhas recentes, apareceu novamente para evitar o segundo dos cearenses. Esse lance ocorreu aos dois minutos.

O São Paulo respondeu aos seis minutos, enfim com efetividade, graças ao oportunismo de Calleri. O atacante argentino aproveitou falha de Luiz Otávio, que havia entrado no intervalo, e finalizou para a defesa de Richard. O goleiro soltou o rebote nos pés do argentino, que estava atento e mandou para as redes.

Da área técnica, Ceni, ex-goleiro histórico, viu o atual titular da meta são-paulina se agigantar mais vezes. Volpi mostrou que superou as críticas, fez mais um bom jogo e foi um dos protagonistas da partida. Aos 27, fez uma linda defesa em arremate colocado de Erick.

O time tricolor cansou. Desgastou-se muito na construção das jogadas e na marcação do adversário e o nível técnico caiu a partir da metade da etapa final. O Ceará conseguiu armar contragolpes perigosos, mas que não foram bem concluídos. Cléber, por exemplo, saiu na cara de Volpi, mas se enrolou com a bola na hora de finalizar e preferiu rolar para trás. A equipe cearense, interessada no empate, no fim comemorou o ponto somado fora de casa.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 1 X 1 CEARÁ

SÃO PAULO - Tiago Volpi; Orejuela (Welington), Miranda, Léo e Reinaldo (Rodrigo Nestor); Liziero, Igor Gomes (Vitor Bueno), Gabriel Sara e Benítez (Eder); Luciano (Marquinhos) e Calleri. Técnico: Rogério Ceni.

CEARÁ - Richard; Igor, Messias (Luiz Otávio), Gabriel Lacerda e Bruno Pacheco; Fabinho (William Oliveira), Marlon e Vina; Mendoza (Erick), Cléber (Jael) e Kelvyn (Fernando Sobral). Técnico: Evandro Fornari.

GOLS - Fabinho, aos 22 minutos do primeiro tempo; Calleri, aos seis do segundo.

ÁRBITRO - Paulo Cesar Zanovelli da Silva (MG).

CARTÕES AMARELOS - Fabinho, Richard e William Oliveira (Ceará) e Miranda e Orejuela (São Paulo).

PÚBLICO - 9.271 torcedores.

RENDA - R$ 333.135,00.

LOCAL - Estádio do Morumbi.

 

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Mundo

Homem procura hospital com projétil de canhão no ânus e médicos acionam equipe antibomba

O objeto tem 17 cm de comprimento e 6 cm de largura

Santos

Santos realiza caminhada de conscientização sobre HIV/Aids neste sábado

Os pedestres, que devem trajar uma peça de roupa ou acessório na cor vermelha, seguirão até a Praça das Bandeiras

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software