Moedas atiradas em Ganso levam Santos a julgamento no TJD-SP

O clube foi indiciado pelo Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo. O julgamento está marcado para a próxima segunda-feira.

Comentar
Compartilhar
13 FEV 201318h23

O episódio no qual o meia Paulo Henrique Ganso, do São Paulo, foi alvo de uma “chuva de moedas” na partida em que o Santos derrotou o Tricolor Paulista, por 3 a 1, no último dia 3, na Vila Belmiro, irá render problemas para o Peixe.

Isto porque, o clube praiano foi indiciado pelo Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo (TJD-SP). O julgamento do caso está marcado para a próxima segunda-feira, às 17 horas (horário de Brasília), no TJD-SP.

Com base nos relatos da súmula da partida, os santistas serão enquadrados nos artigos 211 e 213, do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD). O primeiro item prevê deixar de manter o local que tenha indicado para realização do evento com infra-estrutura necessária a assegurar plena garantia e segurança para sua realização, além de um parágrafo único, que incide nas mesmas penas a entidade mandante que não assegurar à delegação visitante, livre acesso ao local da competição e aos vestiários.

Já o segundo diz respeito a deixar de tomar providências capazes de prevenir e reprimir: lançamento de objetos no campo ou local da disputa do evento desportivo.

As moedas que foram atiradas em Ganso levarão o Santos a julgamento no TJD-SP (Foto: Daniel Guimarães/Frame)

A soma destes artigos pode render ao time alvinegro multa de R$ 200 mil. O Santos ainda pode ser condenado a atuar durante dez jogos do Campeonato Paulista longe da Vila.

Fora essas possíveis punições, o Peixe ainda pode ser punido por quatro atrasos para entrar em campo, em compromissos do Paulistão. Caso seja condenado, o clube santista poderá pagar uma multa de R$ 18 mil.