Modesto Roma bate o pé e força permanência de dupla: 'Não quero vender'

O presidente do Santos negou propostas oficiais pelo meia Lucas Lima e atacante Gabriel e espera mantê-los no clube para a sequência da temporada

Comentar
Compartilhar
16 JUN 2016Por Diário do Litoral22h48
O mandatário não quer abrir mão dos seus principais jogadores e ignora investidas de grandes clubes europeusO mandatário não quer abrir mão dos seus principais jogadores e ignora investidas de grandes clubes europeusFoto: Divulgação

Se depender do presidente do Santos, Modesto Roma, o torcedor alvinegro pode ficar tranquilo quanto as possíveis saídas do meia Lucas Lima e atacante Gabriel na janela de transferências internacionais. O mandatário não quer abrir mão dos seus principais jogadores e ignora investidas de grandes clubes europeus.

"Se eles (clubes europeus) têm interesse, eles (europeus) que façam jogadores iguais. Pretender (vender), não pretendo. Tem coisas que suplantam nosso desejo, mas acho que, se a gente puder segurar, nós vamos segurar", afirmou, em entrevista concedida no Museu Pelé.

Nos últimos meses, os jogadores foram ventilados em clubes da Europa. O camisa 10, por exemplo, teve seu nome envolvido em uma proposta secreta de 25 milhões de euros (cerca de R$ 100 milhões) de um "clube que recentemente disputou a final da Liga dos Campeões". Modesto, no entanto, nega ter recebido ofertas oficiais pelos atletas.

"Não chegou nenhuma proposta oficial. Nenhuma. Por nenhum dos dois jogadores. É tudo conversinha. Eu não quero vender", completou.

Caso negocie Gabriel, o Peixe terá direito a 40% da quantia da venda, enquanto o restante é dividido entre o próprio atacante (40%) e a Doyen Sports (20%). O clube ainda briga na Justiça, porque não reconhece a venda da porcentagem do atleta ao grupo maltês de investidores, feita na gestão do ex-presidente Odílio Rodrigues, no fim de 2014.

No caso de Lucas Lima, o clube não pensa em liberá-lo antes do fim do seu contrato, em dezembro de 2017. O Alvinegro tem apenas 10% dos direitos do atleta e vê um baixo lucro em uma possível venda à Europa. O camisa 20, no entanto, já manifestou em diversas oportunidades o desejo de atuar no Velho Continente e pode forçar adeus.