Modesto desiste de Robinho e sonha com retorno do ídolo em 2018

O presidente do Santos revelou dificuldades para fechar com o jogador e o Atlético-MG, que detém seus direitos, e deixou seu retorno para o próximo ano

Comentar
Compartilhar
13 JAN 2017Por Diário do Litoral16h55
O presidente do Santos, Modesto Roma Júnior, desistiu do sonho de contratar o atacante Robinho para o retorno do clube à Libertadores da AméricaFoto: Ivan Storti/SFC

O presidente do Santos, Modesto Roma Júnior, desistiu do sonho de contratar o atacante Robinho para o retorno do clube à Libertadores da América – o Peixe não participava desde 2012. Em entrevista coletiva concedida nesta sexta-feira, na Vila Belmiro, o mandatário revelou as dificuldades de acordo com o jogador e o Atlético-MG, que detém os seus direitos.

Agora, a ideia é contar com o Rei das Pedaladas no próximo ano. Ele tem contrato com o Galo até dezembro deste ano e, a partir de junho, já pode assinar um pré-contrato com um novo clube. O Peixe seguirá conversando com Marisa Alija, advogada e representante do atleta, e espera acertar o retorno do ídolo, livrando-se de custos na aquisição dos seus direitos.

“Nós não vamos negociar. O Santos não pagará para ter o Robinho. Temos que esperar um ano. Não dá para fazer o que não podemos. Entre querer e poder ter, tem uma distância imensa. Robinho, se fosse possível, queria. Mas ele tem contrato de mais um ano. Vamos esperar. A maior virtude do ser humano é esperar”, afirmou o presidente do time alvinegro.

Apesar da desistência nas negociações, os mandatários alvinegros oficializaram uma proposta salarial ao atleta nos últimos dias. A oferta foi de cerca de R$ 700 mil, mas o ex-camisa 7 do Peixe teria que negociar a sua rescisão com o Galo. Ele, porém, não quer “forçar a barra” e falou sobre a confiança mostrada pelo técnico Roger no seu início de trabalho na equipe.

Além de não contar com o apoio do próprio jogador nas negociações, o Peixe não conseguiria convencer os dirigentes do Atlético-MG. Apesar do bom relacionamento de Modesto com Daniel Nepomuceno, presidente do time mineiro, o clube mineiro não quer perder um dos seus principais jogadores. Em 2016, marcou 12 gols no Brasileirão e foi um dos artilheiros do clube.