Messi oferece pagamento de R$ 1,9 milhão para evitar pena de prisão de 21 meses

Na Espanha, sentenças de prisão inferiores a 24 meses para infratores pela primeira vez podem ser suspensas por um juiz

Comentar
Compartilhar
23 JUN 2017Por Estadão Conteúdo21h00
O craque argentino Lionel Messi se ofereceu a pagar uma multa adicional de 500 mil eurosO craque argentino Lionel Messi se ofereceu a pagar uma multa adicional de 500 mil eurosFoto: Associated Press/Estadão Conteúdo

O craque argentino Lionel Messi se ofereceu a pagar uma multa adicional de 500 mil euros (aproximadamente R$ 1,9 milhão) para garantir que ele vai evitar o cumprimento da pena de prisão de 21 meses por fraude fiscal, que assim deverá ser suspensa por um juiz, revelou nesta sexta-feira o Ministério Público espanhol. 

A promotora Isabel López Riera disse à agência de notícias The Associated Press que o acordo de pagamento de multa por hora foi apresentado pelos advogados de Messi ao juiz que vai definir se suspende a sentença de Messi, como é amplamente esperado que aconteça. E a promotora já disse que não se opõe ao acordo. 

Lopez Riera explicou que os advogados de Messi fizeram uma oferta similar para o pai do jogador do Barcelona, Jorge Horacio Messi. Eles sugeriram o pagamento de 360 mil euros (R$ 1,34 milhão) para evitar a sentença de 15 meses por ajudar seu filho a burlar impostos. 

Na Espanha, sentenças de prisão inferiores a 24 meses para infratores pela primeira vez podem ser suspensas por um juiz. O advogado do governo que representa o Departamento de Impostos da Espanha no caso também poderá avaliar o acordo proposto. 

No ano passado, um tribunal de Barcelona apontou Messi e seu pai como culpados pelo não pagamento de 4,1 milhões de euros (cerca de R$ 15,3 milhões) em impostos entre 2007 e 2009. Os valores eram relacionados a contratos de imagem do jogador argentino. 

Messi foi multado em 2 milhões de euros (aproximadamente R$ 7,5 milhões) e seu pai em 1,5 milhão de euros (algo em torno de R$ 5,6 milhões). Ambos foram originalmente condenados a 21 meses, mas a sentença de seu pai foi posteriormente reduzida a 15 meses

Em casos semelhantes, o astro Cristiano Ronaldo, do Real Madrid, e o técnico José Mourinho, com passagem pelo clube espanhol, também foram acusados nas últimas semanas de sonegarem impostos na declaração de seus direitos de imagem no país. Ambos negam terem cometido qualquer irregularidade.