Mesmo com eliminação, presidente do Corinthians garante permanência do técnico

O presidente citou o caso de Tite porque em 2011 o hoje técnico da seleção brasileira esteve perto de ser demitido após a eliminação na Libertadores para o Tolima (COL)

Comentar
Compartilhar
30 AGO 2018Por Folhapress11h06
Andrés Sanchez garante permanência do técnico Osmar Loss no comando do timeAndrés Sanchez garante permanência do técnico Osmar Loss no comando do timeFoto: Agência Brasil

Apesar da eliminação na Copa Libertadores e da campanha discreta no Campeonato Brasileiro, o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, descartou demitir o técnico Osmar Loss. Nesta quarta (29), a equipe caiu no torneio sul-americano mesmo com a vitória por 2 a 1 sobre o Colo-Colo (CHI), no Itaquerão, pelas oitavas de final.

No primeiro jogo, em Santiago, os chilenos ganharam por 1 a 0 e avançaram para as quartas de final por terem feito um gol como visitante.

"É igual ao Tite em 2011. Se eu tirar ele [Osmar Loss] vão reclamar, dizer que não teve tempo. O trabalho dele é muito bom. Tivemos de antecipar etapas com jogadores que chegaram e a comissão técnica que saiu. Jamais falei sobre a saída do treinador", afirmou Sanchez.

O presidente citou o caso de Tite porque em 2011 o hoje técnico da seleção brasileira esteve perto de ser demitido após a eliminação na Libertadores para o Tolima (COL). Ficou, foi campeão brasileiro daquele ano e conquistou o título continental em 2012.

Loss assumiu o cargo em maio, escolhido como sucessor de Fabio Carille, que aceitou proposta do Al-Wehda, da Arábia Saudita.

Atual campeão, o Corinthians está em 8o no Campeonato Brasileiro. A chance mais real de título no segundo semestre é na Copa do Brasil. Enfrenta o Flamengo na semifinal.

Os jogadores corintianos deixaram o campo reclamando da cera dos chilenos e do comportamento do árbitro argentino Nestor Pitana, que teria parado demais o jogo e ajudado o Colo-Colo. Nem mesmo os sete minutos de acréscimo no segundo tempo satisfizeram.

"Não seria nada demais se ele tivesse dado dez minutos [de acréscimo]", disse Loss.

A reclamação quanto ao juiz argentino se soma a do Santos, eliminado, em parte, porque a Conmebol declarou o Independiente (ARG) vencedor por 3 a 0 do primeiro jogo das oitavas de final. A entidade considerou que o uruguaio Carlos Sánchez foi escalado de forma irregular. O presidente do clube brasileiro, José Carlos Peres, se queixou que a Conmebol é controlada pelos argentinos.

"No passado eu disse que os times brasileiros precisavam se unir e tiraram sarro. Agora está aí", concluiu Andrés Sanchez.