Melhor visitante do país, Corinthians tem estratégia para brigar por título

Na busca por maior equilíbrio na Série A, Fábio Carille e seus jogadores sabem que a evolução dentro do Itaquerão é fundamental

Comentar
Compartilhar
22 MAI 2017Por Folhapress13h30
Normalmente fortes como mandantes nos torneios de pontos corridos, os corintianos trabalham de olho na evolução na Arena em ItaqueraFoto: Divulgação

Em casa, o Corinthians de 2017 conquista 66% dos pontos. Fora de Itaquera, o aproveitamento sobe para 71%. Essa peculiar situação se repete no começo do Brasileirão, com tropeço na Chapecoense na estreia como mandante e, no último domingo (21), triunfo diante do Vitória em Salvador. Na busca por maior equilíbrio na Série A, Fábio Carille e seus jogadores sabem que a evolução dentro do Itaquerão é fundamental.

Normalmente fortes como mandantes nos torneios de pontos corridos, os corintianos trabalham de olho na evolução na Arena em Itaquera. Mas também confiantes pelo que time é capaz de fazer quando a partida pede outro tipo de comportamento, o que ocorreu novamente em Salvador. O Corinthians controlou toda a partida e venceu com gol de Jô.

No Campeonato Paulista, por exemplo, o Corinthians pavimentou sua conquista, justamente, em partidas fora de casa. Contra São Paulo [2 a 0 na ida] e Ponte Preta [3 a 0 na ida], abriu os confrontos com resultados que praticamente encaminharam a vitória no placar agregado.

"A gente empatou muitos jogos em casa, mas em dois a gente fez o resultado fora [do Paulistão]", disse o treinador Fábio Carille em entrevista coletiva, em Salvador. "Há empates que podem ser melhores, mas há outros resultados bons fora. Temos muito a melhorar em casa e fora. Dá para ser mais agressivo", admitiu depois de superar o Vitória.

Historicamente no Brasileiro por pontos corridos, o desempenho como mandante é importante para brigar pelo título. De 14 campeões desde 2003, seis tiveram o melhor desempenho geral dentro de casa, como por exemplo o próprio Corinthians de 2015 -outros quatro melhores terminaram entre as três primeiras posições. E, de acordo com Fábio Carille, a estratégia está desenhada para se manter no topo da tabela -quem sabe, no final, disputar a taça.

"Vamos buscar coisas grandes. Vamos buscar ficar em cima, vamos buscar vaga na Libertadores, queremos chegar junto [da parte de cima] até as últimas dez rodadas para medir forças. Mas vamos seguir no nosso jeito, sem projetar muito", avaliou ainda em Salvador.

Com uma equipe ainda em fase de construção -seis titulares não estavam em 2016-, o Corinthians sabe que a evolução do desempenho como mandante está diretamente ligada à força para dominar os adversários e criar mais em Itaquera.

Autor do gol em Salvador, Jô fez uma autocrítica sobre a situação peculiar. "É complicado, talvez pelo nosso modo de jogo. Temos que melhorar no aspecto de quando se propõe o jogo. Vamos tentar melhorar no Campeonato Brasileiro para não perder pontos em casa", explicou em entrevista à "ESPN Brasil".

Com o próximo jogo marcado para Goiânia, diante do lanterna Atlético-GO no domingo (28), o Corinthians pode e deve apostar na força longe de Itaquera. Em 2017, o adversário é praticamente o único, ao lado de Avaí e do próprio Corinthians, com pior desempenho em casa do que fora -só 33% dos pontos vencidos. Chance para Jô e seus companheiros reafirmarem a condição de melhores visitantes do Brasil.