SEDUC

Mastercard suspende campanha com Neymar após acusação de estupro e agressão

A companhia ainda não anunciou como fará a substituição das peças que veicularia com o camisa 10 da seleção

Comentar
Compartilhar
06 JUN 2019Por Folhapress13h35
No fim de semana, surgiu a notícia de que uma jovem fez um boletim de ocorrência acusando Neymar de estupro e agressãoFoto: Elma Okic

A Mastercard decidiu suspender uma campanha para a Copa América com Neymar como garoto-propaganda, que enfrenta acusação de estupro e agressão. Os comerciais divulgam meios de pagamento por aproximação e, segundo a empresa, podem ser retomados ao fim das investigações.

"Nós temos uma série de ativações de marketing planejadas para o decorrer do campeonato que são focadas em promover o uso do pagamento por aproximação. Nós tomamos a decisão de parar aquelas ativações que incluem o embaixador da marca até que o assunto seja resolvido", diz a marca em nota.

Questionada, a companhia ainda não anunciou como pretende substituir as peças que veicularia com o camisa 10 da seleção.

Em reportagem, a Folha de S.Paulo mostrou que outras patrocinadoras se preocupam e cobram explicações. É o caso da Nike que disse estar "profundamente preocupada". "Seguimos acompanhando de perto a situação."

No fim de semana, surgiu a notícia de que uma jovem fez um boletim de ocorrência acusando Neymar de estupro e agressão. O jogador nega.

Quem o acusa é Najila Trindade Mendes de Souza, que concedeu entrevista ao SBT e afirmou ter apelado ao jogador , em encontro num hotel em Paris, para que não fizessem sexo sem camisinha. Segundo ela, houve um comportamento agressivo do atleta, que ignorou o pedido.

"Nos primeiros [atos agressivos], ok. Só que depois começou a me machucar muito. Falei: 'para, está doendo'. Ele falou: 'desculpa, linda'. Continuamos. Falei: 'você trouxe preservativo?' Ele disse que não. 'Então não vai acontecer nada além disso'. Ele não respondeu nada. Ele me virou, cometeu o ato [sexual] e continuava batendo na minha bunda, violentamente. Foi rápido, eu me virei e saí do quarto. Eu falei: 'para, para, para'. Ele não se comunicava. Só agia", explicou Najila.

No amistoso desta quarta (5), em que o Brasil bateu o Qatar por 2 a 0, o camisa 10 da seleção foi substituído com apenas 20 minutos de partida e deixou o estádio Mané Garrincha, em Brasília, de muletas.

De acordo com a CBF, Neymar teve uma entorse no tornozelo direito e foi cortado da Copa América.