Marcelo Fernandes sai em defesa da equipe, mas cobra chutes a gol

Apesar de tentar defender seus atletas de críticas, o técnico do Peixe ao menos externou sua principal insatisfação no jogo

Comentar
Compartilhar
14 MAI 201511h21

O Santos garantiu sua classificação na Copa do Brasil em um jogo preguiçoso na Vila Belmiro. A vitória por 1 a 0, com gol marcado já nos acréscimos do segundo tempo, colocou o Peixe na terceira fase da competição, mas o futebol ruim irritou os poucos torcedores que se deslocaram ao estádio Urbano Caldeira.

“Temos DNA ofensivo com responsabilidade na marcação. Não demos chances para o adversário. Eles abdicaram de atacar. Era jogo de paciência", comentou o técnico, buscando apontar pontos positivos do time nesta quarta. "Era um jogo difícil, vinham por uma bola só, ficaram atrás, não deram problema para o Vladimir. Na bola aérea, fomos exemplar e esse era o jogo deles. No demais, me coloco no lugar da torcida, procuramos abrir o time no começo e no intervalo. Trouxe o Robinho para a meia, abri Gabriel e Geuvânio. Eles ficaram com nove (jogadores) atrás. É ter paciência", explicou.

Apesar de tentar defender seus atletas de críticas, Marcelo Fernandes ao menos externou sua principal insatisfação no jogo.

Chutar mais a gol foi o que faltou para o Santos, segundo o técnico Marcelo Fernandes (Foto: Divulgação/SFC)

"Achei que faltou chutar em gol. Chegamos muito na entrada da área. Quisemos dar um toque a mais. Tivemos chances para chutar e preferimos o passe, comentei com eles. Mas, é isso. Conseguimos a classificação", resumiu, antes de voltar a minimizar a queda de rendimento dos atuais campeões paulistas. "Não vejo assim. Se torna feio pela situação do jogo. O Maringá não incomodou. Tem que ter calma e fomos premiados com justiça no fim", afirmou.

Depois do frustrante empate por 1 a 1 com o Avaí, na primeira rodada do Campeonato Brasileiro, o Santos agora se prepara para encarar o Cruzeiro, neste domingo, às 16 horas, na Vila Belmiro. O treinador santista já avisou que Chiquinho e Renato, poupados contra o Maringá, devem retornar e retrucou o discurso de que o Peixe pode ter a vantagem de encarar apenas os reservas da equipe mineira, já que nesta quarta o Cruzeiro avançou às quartas de final na Copa Libertares da América.

"É o Cruzeiro. Não tem essa de titular, reserva. Tem grandes jogadores", finalizou. Pela Copa do Brasil, o próximo adversário santista será o Sport, que eliminou a Chapecoense nos pênaltis.