Marcelo Fernandes aprova equipe reserva em empate e já foca no Avaí

O Santos esteve muito perto de evitar o jogo de volta e avançar às oitavas de final da Copa do Brasil de forma direta, mas cedeu a igualdade na segunda etapa

Comentar
Compartilhar
07 MAI 201511h38

Apesar da lamentação dos jogadores após o empate por 2 a 2 contra o Maringá, nesta quarta-feira, o técnico santista Marcelo Fernandes evitou criticar sua equipe pelo desempenho na partida disputada no Paraná.

"Diagnóstico é que no segundo tempo a equipe voltou melhor, mas foi mérito do adversário. No primeiro gol, o campo muito ruim, o Vladimir espalmou, o cara chegou e teve mérito de tocar de chaleira. No segundo gol, o cara teve o mérito de achar o arco (cruzamento), o Rodrigo é muito bom de cabeça e fez o gol. Agora, gostei muito da atitude da minha equipe no segundo tempo, voltou ligada, perdemos uns gols, mas foi um placar justo, normal", analisou.

O Santos esteve muito perto de evitar o jogo de volta e avançar às oitavas de final da Copa do Brasil de forma direta, mas cedeu a igualdade na segunda etapa. Para o treinador, porém, o próximo duelo fica de lado neste momento, já que domingo começa o Campeonato Brasileiro."Primeiro vou pensar no Avaí, estreia do Brasileiro. Depois, vou pensar no Maringá. Mas será na nossa casa, com certeza vamos fazer o nosso melhor para conseguir a vitória", comentou, já projetando o duelo da próxima quarta-feira, às 19h30, na Vila Belmiro.

Marcelo Fernandes aprova atuação do time apesar do empate e já pensa na estreia no Brasileirão (Foto: Divulgação/SFC)

Antes, domingo, contra a equipe de Florianópolis, o Peixe deve ter o retorno de todos os seus titulares. “A tendência é voltar todos, pois todos ficaram (em Santos). Hoje (quarta) treinaram bem, em dois períodos. Vamos inteiros contra o Avaí e dependemos de exames para tentar colocar o que temos de melhor na quarta, contra o Maringá", avisou.

Ao fazer uma análise individual sobre a participação de Elano no jogo, Marcelo Fernandes foi só elogios ao experiente jogador santista e responsável pela abertura do placar em Maringá. "Elano é um atleta excepcional, de grupo, nos ajuda no dia-a-dia. Não só fora do campo, mas dentro também. Decidiu em São José, hoje aqui também. Uma grande participação. Por não estar jogando, ele sente o ritmo, mas aguentou até os 30 do segundo tempo, é uma margem boa", encerrou.