Mano lamenta gastos em reforços em última temporada de Tite

“Com R$ 60 milhões para investir, como na temporada passada, seria melhor. Quando você gasta muito em uma, falta em outra”, condicionou Mano, rindo

Comentar
Compartilhar
20 MAR 201414h47

Mano Menezes continua a relacionar os problemas que o Corinthians enfrenta atualmente com aquilo que o antecessor Tite vivenciou em sua última temporada no clube. Um ano depois de gastar R$ 40 milhões para contratar o atacante Alexandre Pato, hoje no São Paulo, o presidente Mário Gobbi enfrenta dificuldades financeiras para dar reforços a outro técnico gaúcho.

“Com R$ 60 milhões para investir, como na temporada passada, seria melhor. Quando você gasta muito em uma, falta em outra”, condicionou Mano, rindo.

O sucessor de Tite foi contratado com a missão de reformular o elenco campeão  mundial de 2012. Durante a campanha fracassada no Campeonato Paulista, ele definiu a sua meta como um “ônus”. Agora que o Corinthians está em inatividade até o início do Campeonato Brasileiro e a sequência da Copa do Brasil, aguarda as chegadas de ao menos dois novos jogadores.

“Estou tranquilo. As coisas vão acontecer a contento”, confiou, misterioso em relação aos reforços – a prioridade é contar com mais um atacante. “Não dá para falar nada.”

Técnico do Corinthians confia que o presidente Mário Gobbi trará reforços para a sua equipe (Foto: Divulgação/Agência Corinthians)

Apesar de se dizer “tranquilo”, Mano se sentiu pressionado depois que o Corinthians acabou eliminado do Campeonato Paulista de maneira precoce. O técnico contou com a vitória por 2 a 0 sobre o modesto Bahia de Feira, na primeira fase da Copa do Brasil, para tentar contornar as cobranças.

“É um presente vencer uma partida como essa, simbólica, rara nas vidas dos técnicos. Mas a gente vai sobrevivendo”, comentou Mano Menezes.