Mancini promete dar "100 chances" a Balotelli no Manchester City

Técnico disse que não vai punir Mario Balotelli pelo desentendimento durante um treinamento e acredita que temperamento do atleta pode ser domado.

Comentar
Compartilhar
04 JAN 201314h55

O técnico do Manchester City, Roberto Mancini, confirmou nesta sexta-feira (4) que não vai punir Mario Balotelli pelo desentendimento durante um treinamento e disse acreditar que o temperamento do atacante pode ser domado. No mais recente capítulo das polêmicas do jogador italiano, Mancini teve que ser separado do seu compatriota após pegar o seu colete durante uma atividade. Mas o treinador declarou que não vai desistir do atacante, que seguidamente tem especulada a sua saída do clube.

"Eu vou lhe dar mais 100 chances se for possível, eu acho que ele pode mudar. Estou aqui para isso", disse Roberto Mancini nesta sexta. "Às vezes eu estou chateado porque ele não faz tudo, mas eu lhe dou outra chance, claro. Ele tem 22 anos e pode cometer um erro".

Roberto Mancini admitiu que perdeu a paciência na última quinta, mas minimizou o incidente que aconteceu após uma entrada dura de Balotelli em Scott Sincliar e foi registrada por fotógrafos. "Durante três ou quatro segundos porque ele não queria deixar o campo", disse.

Balotelli estreou pela Internazionale em 2010 e  raramente tem ficado fora das manchetes por confusões. (Foto: Divulgação/ Manchester City)

"Ele não pode fazer isso contra ninguém, mas depois acabou. Isto não foi uma coisa ruim como no papel. A foto é pior do que o que aconteceu. Nós estávamos jogando um jogo e Mario chutou seu companheiro de equipe e eu disse a ele: 'Saia, deixe o campo'. Ele disse: 'Não', e eu peguei a camisa dele, o empurrei para fora do campo. Isto é o que realmente aconteceu, não houve luta"

Desde a sua estreia pela Internazionale em 2010, Balotelli raramente tem ficado fora das manchetes por confusões e recentemente foi multado pelo Manchester City em razão de problemas disciplinares. "Se ele não mudar, vai ser muito difícil no futuro para ele, não para mim", disse Mancini. "Mario poderia ficar comigo um dia, um mês, cinco anos. Ele tem 22 anos Ele precisa mudar. Seu problema é se (vai mudar). Não é fácil controlá-lo e nós podemos falar sobre ele, mas meus pensamentos sobre ele não mudam. O que ele fez ontem (quinta), ele também pode fazer durante o jogo. Este é o problema, mas eu tenho fé, sim".