Luis Enrique minimiza polêmica, mas entende irritação com Neymar

O lance aconteceu no segundo tempo, quando o placar marcava 3 a 1 para o Barça e a torcida catalã já esperava para comemorar o título

Comentar
Compartilhar
31 MAI 201512h29

Em tom apaziguador, o treinador Luis Enrique pediu compreensão com Neymar após polêmica na final da Copa do Rei, mas disse entender os adversários que partiram para cima do camisa 11 do Barcelona após carretilha no duelo contra o Athletic de Bilbao, neste sábado. O lance aconteceu no segundo tempo, quando o placar marcava 3 a 1 para o Barça e a torcida catalã já esperava para comemorar o título.

“Esse tipo de coisa é muito mal vista na Espanha. Se eu fosse jogador do Athletic, reagiria da mesma maneira ou pior que eles reagiram. É preciso entender ele não faz isso para humilhar o rival. No Brasil, isso é visto de outra forma. Tentaremos, com o tempo, controlar isso”, ponderou o técnico, acalmando os ânimos após assegurar o 27º título de Copa do Rei para o Barcelona.

O discurso do treinador, no entanto, não segue a mesma linha do de Neymar, que declarou após a partida que os dribles fazem parte de seu estilo de jogo e ele não pretende mudá-lo. Em um ponto, no entanto, ambos concordam. Para Luis Enrique, a atuação de Messi na final deste sábado, com dois gols (sendo o primeiro deles uma pintura), é apenas mais uma bela exibição para um atleta de altíssimo nível.

Em final com dois gols de Messi, Neymar também marcou e iniciou confusão ao dar carretilha (Foto: Manu Fernandez/Associated Press/Estadão Conteúdo)

“Messi faz o que faz porque é o melhor jogador do mundo”, afirmou o técnico, indo de encontro à declaração de seu camisa 11. “Messi é espetacular, um craque, o melhor. Para mim é uma honra jogar ao lado dele”, já havia exaltado Neymar após o duelo contra o Athletic.

Apesar de já ter conquistado o Campeonato Espanhol e a Copa do Rei, o Barcelona ainda tem seu último e maior desafio da temporada pela frente. Neste sábado, a equipe disputa a final da Liga dos Campeões contra a Juventus, no Estádio Olímpico de Berlim, capital da Alemanha.