Leandro Damião garante a vitória de Ronaldo sobre Zidane

O Jogo contra a Pobreza está em sua 10ª edição e foi disputado no Brasil pela primeira vez.

Comentar
Compartilhar
19 DEZ 201223h09

Era um amistoso. Até jogadores colorados entrarem em campo pela primeira vez na Arena do Grêmio, nesta quarta-feira. Foi do centroavante Leandro Damião, do Internacional, o gol que garantiu a vitória por 3 a 2 dos Amigos do Ronaldo sobre os Amigos do Zidane no Jogo contra a Pobreza, que está em sua 10ª edição e foi disputado no Brasil pela primeira vez. O evento filantrópico tem apoio da Organização das Nações Unidas (ONU).

Ronaldo e Zidane começaram iguais em ausências. No banco de reservas da Arena do Grêmio, não estavam os técnicos Luiz Felipe Scolari e Carlos Alberto Parreira, que não conseguiram não conseguiram chegar a Porto Alegre a tempo de participar da partida (o mau tempo no Rio de Janeiro atrasou os voos). Acabaram substituídos pelo preparador físico Paulo Paixão e por Márcio Atalla, personal trainer do Fenômeno.

Dessa forma, Atalla poderia observar de perto o estado físico de Ronaldo, que adiantou desde cedo a sua intenção de deixar o campo não muito além do intervalo do amistoso. “Até tenho fôlego para aguentar mais tempo, mas estou com uma dor insuportável na virilha. É melhor me guardar para outra vez”, sorriu o ex-atacante, que se lesionou em um jogo de futevôlei de seu reality showpara emagrecer.

Mesmo mais magro, Ronaldo pouco encostou na bola enquanto esteve em campo. Seu time ainda perdeu o goleiro Dida, novo reforço do Grêmio, que se machucou logo no princípio da partida. Os torcedores tricolores, no entanto, não ficaram desfalcados. O ídolo Danrlei foi a campo na equipe branca. E quase sofreu um gol em seguida. Aos 25 minutos, Zidane deu uma amostra de sua categoria com um chute colocado, que parou na trave.

Envolvente, o time de Zidane se deu ao luxo de iniciar as brincadeiras do amistoso. O argentino Juan Pablo Sorín arriscou uma finalização de letra e ganhou aplausos do público. Do outro lado, na equipe de Ronaldo, os jogadores tentavam se acertar em campo. Aos 59 anos, Zico teve de pedir para receber a bola em seus pés, já que o jovem Neymar, de 20, insistia em fazê-lo correr com lançamentos mais longos.

Quando Zico, Neymar e os demais atletas vestidos de branco se acertaram, no final do primeiro tempo, os Amigos do Ronaldo conseguiram ficar à frente no placar. O Galinho passou a bola para o Fenômeno, que acionou o atacante do Santos na ponta esquerda. Após uma boa assistência, o ex-atacante Bebeto só teve o trabalho de empurrar para a rede antes de ser ovacionado pela torcida presente.

O jogo terminou em 3 a 2 para os Amigos do Ronaldo sobre os Amigos do Zidane (Foto: Jefferson Bernardes/Preview)
Após se ajustarem, os dois times enfrentariam novo desentrosamento no segundo tempo, com uma série de alterações. Ronaldo, como desejado, não esperou muito para ceder seu lugar a Djalminha. Sem ele, o time branco sofreu o empate aos 16 minutos do segundo tempo. Falcão, atleta de futsal que voltava a se aventurar em um gramado de futebol, bateu cruzado e comemorou com abraços em Zidane, Míchel Salgado e Loco Abreu.

Àquela altura, o amistoso já tinha ares de Gre-Nal. Os colorados Leandro Damião e Guiñazu ouviam muitas vaias cada vez que tocavam na bola. O primeiro tentou responder com a sua tradicional carretilha, porém não conseguiu completar o drible para cima de Salgado – para a alegria dos gremistas. Os tricolores ainda vibraram com a entrada do ídolo Jardel na vaga de Loco Abreu. Perdoaram uma furada do rechonchudo centroavante aposentado e irritaram-se quando Réver aplicou-lhe um chapéu.

Aos 22 minutos, o time de Zidane virou o marcador. Com gol do francês. Esbanjando a mesma categoria dos tempos de jogador, ele emendou um cruzamento de primeira para a rede. Pouco depois, foi substituído por Deco, que retornou a campo enquanto o dono da sua equipe era entusiasticamente aplaudido. O carrasco brasileiro na Copa do Mundo de 1998 retribuiu o carinho com palavras elogiosas ao público em entrevistas à beira do campo.

Mas a vantagem no placar de Zidane sobre Ronaldo não demorou muito tempo. Dez minutos depois de o francês anotar, Roger passou a bola para Djalminha, que cruzou rasteiro para Cacá Ferrari. O amigo de infância do Fenômeno concluiu para dentro e igualou o amistoso outra vez, deixando o jogo bastante movimentado. A ponto de os gremistas pedirem para Danrlei – que fez até uma defesa de costas – deixar Jardel marcar um gol.

Quem balançou a rede, entretanto, foi um colorado. Aos 43 minutos, Leandro Damião recebeu com liberdade na ponta direita, avançou e finalizou com raiva. Como o chute foi indefensável para o goleiro Diego Cavalieri, o centroavante pôde abrir um sorriso de satisfação em seguida – enquanto a massa gremista se calava em sua nova casa.