Lanús vence e adia sonho de título histórico da Ponte Preta

Os time argentino abriu o placar com Ayala, aos 24 minutos do primeiro tempo. Blanco ampliou no último minuto da etapa inicial

Comentar
Compartilhar
12 DEZ 201300h00

A hora ainda não chegou. Em busca do primeiro título de expressão em seus 113 anos de história, a Ponte Preta não conseguiu repetir nesta quarta-feira o desempenho que a levou à decisão da Copa Sul-Americana e foi derrotada por 2 a 0 para o Lanús, em La Fortaleza.

Os time argentino abriu o placar com Ayala, aos 24 minutos do primeiro tempo. Blanco ampliou no último minuto da etapa inicial.

Se a Ponte lutava para finalmente comemorar um título, o Lanús também tratou a Copa Sul-Americana como prioridade. Em quase 99 anos de história, a equipe argentina conquistou apenas a Copa Conmebol de 1999 e o Torneio Apertura de 2007. Neste sábado, o Granate pode ainda fechar o ano com chave de ouro com o título argentino.

Ao time brasileiro, resta se recuperar da dura derrota e iniciar o planejamento para o Campeonato Paulista e a Série B da próxima temporada. Quem comemora a derrota alvinegra é o Botafogo, que perderia a vaga na Libertadores para a Macaca em caso de título.

Troca de técnicos, atraso em voo, estádio Moisés Lucarelli barrado pela Conmebol, rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Foram muitos os desafios que a Ponte Preta enfrentou nessa campanha histórica. Nenhum deles, porém, abalou o elenco e torcida alvinegros.

Se não ficou com a taça, a Macaca ao menos mostrou ao Brasil e à América do Sul que tem a “raça de campeão” entoada por sua fanática torcida e que esta a apoia incondicionalmente. Com ou sem título.

O Lanús bateu a Ponte Preta pro 2 a 0 (Foto: Associated Press)

O Jogo

A Ponte iniciou o jogo como pediu o técnico Jorginho. Recuada, porém, a Macaca não foi bem nos contra-ataques como em toda a competição e deu espaços para o Lanús jogar com tranquilidade.

Apesar disso, o time argentino errava muitos passes no campo de ataque e levou pouco perigo na primeira metade de jogo. Aos 23, Cesar chegou duro sobre Benítez e o árbitro ameaçou marcar a falta. Na confusão, a bola sobrou para Blanco chutar cruzado e assustar o goleiro Roberto.

O lance atordoou a Ponte Preta. No minuto seguinte, Benítez roubou a bola no meio campo e tocou para Ayala armar o contra-ataque em velocidade. Após tocar para Blanco, o meia aproveitou chute cruzado do companheiro para apenas rolar a bola para o fundo da rede.

A desvantagem no placar não mudou a postura do time brasileiro, que seguiu recuado em seu campo de defesa. Melhor, o Lanús partiu para o campo de ataque e pressionou em busca do segundo gol, sem eficiência. Mesmo enrolando nos acréscimos a fim de garantir a vantagem no intervalo de jogo, o time argentino aproveitou um lance de bola parada para ampliar o placar ainda na primeira etapa.

Após cobrança de escanteio de Ayala, Santiago Silva subiu bem e cabeceou firme. Roberto fez a defesa parcial, mas viu Blanco aproveitar a sobra na pequena área para levar a torcida ao delírio pela segunda vez.

Precisando de ao menos dois gols para levar a partida para a prorrogação, a Ponte iniciou o segundo tempo no campo de ataque do Lanús. Ao passo em que não conseguia finalizar com perigo, porém, a equipe brasileira voltou a recuar seus jogadores e deixou o jogo truncado no meio-campo.

Bem na defesa e se aproveitando da ausência do veloz Rildo, que deixou o campo aos 20 minutos para a entrada do artilheiro William, o Lanús seguiu se lançando ao campo de ataque e assustou a Ponte Preta em mais de uma oportunidade, a principal delas em cabeçada de Blanco bem defendida por Roberto.

Empurrado por sua torcida, que não parou de cantar e arriscou grito de olé ainda na metade da etapa final, o Lanús teve calma para administrar a vantagem até o apito final e comemorar o título mais importante de sua história em La Fortaleza.