X
Esportes

Juiz justifica ação de 5º árbitro e nega influência em revisão de pênalti na final do Paulista

Após dividida entre Ralf e Dudu na grande área defendida por Cássio, Marcelo marcou pênalti para o Palmeiras

Corinthians venceu após disputa de pênaltis / Agência Corinthians

Responsável por apitar a partida que deu o título do Campeonato Paulista ao Corinthians, nesse domingo (9), no Allianz Parque, Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza negou que o quinto árbitro do jogo influenciou sua decisão de voltar atrás após marcar pênalti de Ralf em Dudu. Segundo sua versão, o juiz reserva teria apenas auxiliado na comunicação entre os membros do quarteto.

Após dividida entre Ralf e Dudu na grande área defendida por Cássio, Marcelo marcou pênalti para o Palmeiras. Os jogadores do Corinthians iniciaram pressão sobre o árbitro. Imagens do Esporte Interativo e da ESPN mostram o quinto árbitro correndo para falar com o quarto neste momento.

Marcelo se defende dizendo que o quarto árbitro havia falado "canto" no momento do lance polêmico para indicar que Ralf havia tocado na bola e que, em sua interpretação, seria apenas escanteio.

O lance polêmico gerou pressão das duas partes e da torcida, o que, segundo Marcelo, foi fundamental para que a comunicação entre os árbitros ficasse confusa. De acordo com ele, o quinto árbitro interveio apenas para avisar ao quarto de que o juiz principal procurava quem havia sugerido o escanteio.

"É uma equipe, a interferência do quinto árbitro é porque ele conseguiu ouvir o que eu queria falar. Eram muitos jogadores falando ao mesmo tempo. O que menos estava (sofrendo interferência) era o quinto árbitro. Assim como eu só consigo ouvir quando escuto 'canto', mas quem falou 'canto'? A partir daí, o quarto árbitro também não consegue ouvir porque está sofrendo pressão dos jogadores do Corinthians", explicou Marcelo, em entrevista à ESPN.

Em meio à polêmica, a final ficou parada por cerca de dez minutos. O árbitro admite que o procedimento não foi ideal e culpa a dificuldade de comunicação causada pela pressão dos jogadores.

"O procedimento não foi o ideal. Eu fui ao meio-campo para que juntasse todos e pudesse ouvir. Mesmo distanciando dos jogadores, eles não conseguiram ouvir. Eu chamo, mas ninguém consegue me ouvir. O quarto árbitro passou e achou que eu tivesse ouvido", contou.

Em entrevista à "Band", Marcelo Aparecido disse estar com a consciência tranquila com a decisão. De acordo com ele, o que o faria perder o sono seria o campeonato ser decidido com uma decisão errada dele.

"O que estou tranquilo é que a decisão foi correta. Minha consciência está tranquila porque a decisão foi correta. Fico chateado pela confusão que aconteceu, mas com a consciência tranquila. Estaria com a consciência pesada, tiraria meu sono, se o campeonato tivesse sido decidido por uma decisão errada".

No jogo em questão, o Corinthians venceu o Palmeiras por 1 a 0. Depois, nos pênaltis, fez 4 a 3 e garantiu o título paulista.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Santos

Incêndio em apartamento assusta moradores em Santos

Um incêndio em um apartamento na Rua Barão de Paranapiacaba, na Encruzilhada, em Santos, mobilizou equipes do Corpo de Bombeiros na tarde desta terça-feira (30)

Santos

Atualização dos números da covid-19 em Santos

O número de casos acumulados passou de 55.686 para 55.776

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software