Irmãs cubatenses conquistam importantes medalhas no caratê

Sabrina foi medalha de bronze na seletiva para o campeonato mundial do Marrocos e Alessandra conquistou o campeonato paulista de sua categoria

Comentar
Compartilhar
28 MAR 2018Por Da Reportagem18h50
Sabrina e Alessandra estudam na escola José da CostaFoto: Divulgação/PMC

A cubatense Sabrina de Paula Ferreira, de 14 anos, é a terceira melhor carateca brasileira na categoria cadete (de 14 a 15 anos e até 47 quilos). Ela obteve tal posição ao conquistar medalha de bronze na seletiva nacional para o Campeonato Mundial de Caratê, que será disputado de 2 a 9 de maio no Marrocos. E sua irmã, Alessandra, de 12 anos, sagrou-se, no dia 17, em torneio realizado em Santos, campeã estadual na categoria sub-14, até 42 quilos.

Estudante da Escola Estadual José da Costa, no Jardim Costa e Silva, Sabrina foi à seletiva, realizada no dia 14 no Clube Espéria, em São Paulo, disposta a obter a vaga para representar o Brasil no mundial (apenas a primeira colocada obtem este direito). Não conseguiu, mas considerou positiva sua participação: "Perdi apenas uma luta classificatória e adquiri mais experiência", disse. Sabrina tem, em seu currículo, entre outras conquistas, um título brasileiro, um paulista e a medalha de bronze no Campeonato Sul-Americano realizado na Colômbia, em 2017.

A seletiva envolveu lutadores de 10 estados e Sabrina foi a única representante de São Paulo. Seu técnico há seis anos, Luis Antonio Alexandre, o Lula do Karatê, também ficou satisfeito com o desempenho da atleta. "Ela está se aperfeiçoando cada vez mais e a experiência adqurida na seletiva deste ano sem dúvida será útil na próxima disputa". Essa disputa, segunda seletiva para o mundial do Equador (2 a 9 de maio), ocorrerá nos dias 30 e 31/3 em Belo Horizonte.

Alessandra - A irmã de Sabrina, Alessandra, também é estudante da escola José da Costa. Em 2017, ela já havia conquistado o vice-campeonato estadual. As duas residem na Vila Esperança e treinam no praça de esportes do clube Unidos do Parque Fernando Jorge.