Idosos do tênis de mesa se dedicam nos treinamentos

Tanto no masculino como no feminino, a disputa ocorre duas categorias: A, com jogadores de 60 a 69 anos, e B, de 70 em diante

Comentar
Compartilhar
19 MAR 201412h03

Disposição, empenho e muita dedicação. É o que se pode ver nos treinamentos da equipe de tênis de mesa que vai representar a cidade nos jogos Regionais e Abertos do Idoso.
Tanto no masculino como no feminino, a disputa ocorre duas categorias: A, com jogadores de 60 a 69 anos, e B, de 70 em diante. Tomu Hikosaka, 65 anos, integra o grupo desde ano passado.

“Minha esposa leu no Diário Oficial que teriam seletivas. Participei e passei a fazer parte da equipe. Foi muito bom. Fiquei em terceiro lugar nos Jogos Regionais e participei dos Jogos Abertos”.

Já Reni Bertachini, 78 anos, disputou as 17 edições dos jogos e recomenda. “Essas atividades são fundamentais para quem já passou dos 60 anos. A socialização e o intercambio com pessoas de outras cidades faz muito bem”.

Conforme Flávio Belloc, professor responsável pela modalidade, são aceitas inscrições para todas as categorias, mas a maior necessidade é na A feminina. “Não é preciso já ter sido atleta, basta saber jogar e ter disposição”.

Disposição, empenho e dedicação é o que se pode ver nos treinamentos da equipe de tênis de mesa que vai representar a cidade nos jogos Regionais e Abertos do Idoso.

Os interessados, a partir de 60 anos, em fazer parte da equipe, podem comparecer aos treinamentos, no Centro de Convivência Vida Nova (av. Francisco Glicério, 647), às segundas e sextas, das 14 às 16h.


Foto: Rogério Bomfim