Guilherme se vê mais seguro em novo esquema e promete mais gols

Até o momento, foram três tentos anotados e dois passes para gol concluídos pelo atleta

Comentar
Compartilhar
28 MAI 2016Por Gazeta Press19h30
Meia melhorou sua produção nos últimos jogos com função mais ofensivaMeia melhorou sua produção nos últimos jogos com função mais ofensivaFoto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press

O meia Guilherme talvez tenha sido o jogador que mais subiu de produção com o novo esquema adotado por Tite, segurando mais os dois volantes e deixando o camisa 10 com mais espaço para criar. “Livre”, nas palavras do próprio treinador, o armador comentou as dificuldades encaradas nesses primeiros meses de Corinthians e assegurou que antes não tinha condição de decidir as partidas na tarde desta sexta-feira, no CT Joaquim Grava.

Para o jogador, que começou a carreira como atacante, tornou-se meia com o passar do tempo e fazia uma função de terceiro homem de meio-campo no início da temporada, semelhante à realizada por Renato Augusto, o fato de ter dois homens de marcação na sua proteção fazem com que ele tenha mais liberdade para criar. Antes, qualquer ousadia nos passes poderia terminar em muita dor de cabeça.

“Eu me sinto mais seguro nas minhas tomadas de decisão ofensivas tendo um jogador de marcação por perto. Mas não deixei de ter esse combate. Me sinto mais completo, além de ter evoluído taticamente. Só que um tempo atrás eu estava correndo, marcando, mas me sentia mais modesto. Qualquer toque que errasse podia ser fatal, então eu tinha que ser mais simples. Mesmo com o Elias eu consegui ter essa liberdade contra o Vitória, tenho me sentido bem”, analisou o jogador.

“No jogo do vitória eu já tinha ido muito bem, consegui chegar mais à frente, criar, também estava jogando bem daquele outro jeito. Mas, talvez, um pouco mais adiantado eu tenha um pouco mais de espaço para conseguir usar minhas qualidades, passe, chute. Se eu fui o mais beneficiado, fico feliz e vou tentar aproveitar”, comentou o jogador.

Na avaliação de Guilherme, que já marcou um gol no novo posicionamento, na vitória por 3 a 0 sobre a Ponte Preta, o caminho natural com a manutenção dessa função é marcar mais gols e conseguir mais assistências. Até o momento, foram três tentos anotados e dois passes para gol concluídos pelo atleta.

“Acho que sim (terá mais gols e assistências). Estou jogando onde me sinto bem, melhor. Claro que não posso garantir 38 jogos maravilhosos, mas eu almejo fazer mais gols, dar passe. No jogo passado criei bastante, agora fiz gol. Participo tanto quanto antes, mas mais ofensivamente, fazendo passes, gols. Antes era mais começando a jogada. Agora fico trabalhando e pensando em cada vez mais fazer gols”, observou.

Por fim, Guilherme ainda assegurou que não teve qualquer influência na mudança do esquema. Apesar de admitir ter conversado com o técnico Tite algumas vezes, ele apontou o treinador como mentir único da escalação dele, Giovanni Augusto e Marquinhos Gabriel na armação da equipe.

“Tite sempre soube que meu posicionamento era ali, lá no início mais como atacante, de uns quatro anos para cá era mais como meia. Quando vim ele já sabia, talvez por essa qualidade tentou o novo posicionamento, mas em momento algum eu pedi para trocar de posição. Partiu dele, talvez ele tenha entendido que o melhor seria avançar, meu desempenho não estava bom. Não complicou nada para ele no esquema, o rendimento melhorou para mim. Espero a cada dia evoluir e crescer mais”, encerrou.

Guilherme tenta agora diante do Sport, às 11h (de Brasília), na Ilha do Retiro, manter o nível apresentado contra Vitória e Ponte Preta. Os jogadores, por sinal, viajam ainda na noite desta sexta e treinam na manhã de sábado, às 9h (horário local), no CT do Náutico, na capital pernambucana.