Guerrero admite “raiva” por ter desfalcado Corinthians na Libertadores

O atacante foi suspenso por acertar cotovelada ainda na estreia alvinegra, contra o Once Caldas, na Arena

Comentar
Compartilhar
12 MAR 201514h31

Os três jogos de punição a Paolo Guerrero dificultou, mas não chegou a complicar o Corinthians na Copa Libertadores. Após eliminar o Once Caldas na fase preliminar, Timão lidera o ‘grupo da morte’ com duas vitórias. Venceu o rival São Paulo e atual campeão San Lorenzo sem ter seu camisa 9 em campo, situação que deixou o peruano extremamente frustrado.

“Foi difícil (ficar de fora). Mais ainda porque esses dois jogos foram contra grandes clubes como São Paulo e San Lorenzo. Assisti pela TV aos dois jogos e dava raiva por não estar em campo e por não estar fazendo gols. Queria estar presente”, reconhece Guerrero em entrevista ao site oficial da Copa América.

Ele foi suspenso por acertar cotovelada ainda na estreia alvinegra, contra o Once Caldas, na Arena. Na ocasião, não fez falta, vendo os companheiros superarem a desvantagem numérica e vencerem por 4 a 0. Desde então, o empate em 1 a 1 no jogo da volta rendeu vaga na fase de grupos, onde vitórias por 1 a 0 fazem o Timão avançar ileso rumo à classificação.

O mérito maior pela boa campanha, entende Guerrero, é do técnico Tite. “Ele é muito experiente, sabe muito bem como aprontar o time taticamente. Graças a Deus temos ele aqui no Corinthians, e ele está fazendo de tudo para ganharmos a Libertadores”, afirma o atacante, que estará à disposição contra o Danubio, na terça-feira.

O foco na competição internacional é tamanho que no Paulistão tem sido usado um time alternativo. Por isso Guerrero ficou no banco de reservas na vitória por 1 a 0 sobre o São Bernardo, na última quarta-feira. Ele tem chances de voltar à equipe às 16 horas (de Brasília) deste sábado, quando o adversário será o Red Bull Brasil.

Chateado por ainda não ter debutado na Libertadores 2015, Guerrero quer voltar logo (Foto: Daniel Augusto Jr.)

Renovação

O Corinthians que encontra dificuldades para renovar contrato do herói de seu segundo título mundial. A negociação se estende por meses e ainda não há definição sobre o futuro do camisa 9. “Ainda não podemos falar disso porque há algumas coisas pendentes, o time tem meses de atraso (direitos de imagem de alguns atletas), mas espero resolver o mais rápido possível”, diz Guerrero. O atual vínculo se encerra no dia 15 de julho.