Gilson Kleina exige atenção total dos jogadores contra o São Paulo

Se refugiar em Atibaia, interior de São Paulo, se tornou uma boa opção, aos olhos do treinador

Comentar
Compartilhar
31 JAN 201419h46

As quatro vitórias no início do Campeonato Paulista não foram suficientes para o técnico Gilson Kleina sentir que o Palmeiras está pronto para enfrentar grandes desafios. O time ainda precisa melhorar em pontos fundamentais, como a concentração. Por isso, se refugiar em Atibaia (SP) se tornou uma boa opção, aos olhos do treinador.

A ideia é aproveitar o máximo do tempo possível entre o jogo contra o Penapolense, na última quinta-feira, e o clássico de domingo contra o São Paulo, no Pacaembu, para fazer os atletas aumentarem a atenção e entender que um erro pode ser fatal. A evolução tática tem agradado ao treinador, mas ele sente que alguns atletas parecem desatentos, talvez pelo fato de o time só ter enfrentado equipes de menor expressão.

Diante dessa avaliação da comissão técnica, o time foi para Atibaia após a partida na quinta à noite e só retorna na tarde desta sábado. A preocupação de Gilson Kleina aumenta pelo fato de ter a certeza que o São Paulo vai partir para o ataque e, até por isso, a defesa terá de se desdobrar.

O técnico Gilson Kleina exige atenção total dos jogadores do Verdão (Foto: Alex Silva/Estadão Conteúdo)

"Os dois dias em Atibaia serão uma extensão da pré-temporada, que foi muito curta. Precisamos disso. Além disso, é um grupo que está se conhecendo e, por isso, é importante estar junto. Não é uma receita de sucesso, mas é um caminho bem planejado para que possamos render bastante no domingo", explicou Gilson Kleina.

Wellington deve ser mantido entre os titulares e tem a autorização até para cobrar o experiente companheiro Lúcio. "A gente tem que se cobrar. Porque senão fizer isso, a gente não vai chegar em lugar nenhum. A pressão está em cima de nós e se eu não cobrá-lo, eu estarei errado e a bomba vai sobrar pra mim", disse o zagueiro. "Ele (Gilson Kleina) disse que era para eu cobrar se achasse que era preciso. Estamos todo mundo junto e somos iguais dentro de campo", completou.

Gilson Kleina deve manter no clássico a mesma formação do jogo contra o Penapolense. A única dúvida é contar ou não com Marquinhos Gabriel, destaque nos últimos jogos, entre os titulares. A tendência é que ele permaneça como opção no banco de reservas. Pensando no São Paulo, o treinador já poupou o meia chileno Valdivia na última quinta, quando ele foi substituído no intervalo da partida. Até a tarde desta sexta, 15 mil ingressos haviam sido vendidos.