Galiotte diz esperar “verde no branco” para comentar sobre Borja no Verdão

Perguntas sobre o atacante foram feitas durante o anúncio da renovação do contrato com as patrocinadoras Crefisa/FAM

Comentar
Compartilhar
08 FEV 2017Por Gazeta Press22h30
Maurício Galiotte se esquivou das perguntas referentes à contratação de Miguel BorjaMaurício Galiotte se esquivou das perguntas referentes à contratação de Miguel BorjaFoto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press

O Palmeiras formalizou nesta quarta-feira a renovação do contrato com as patrocinadoras Crefisa/FAM. O presidente do clube, Maurício Galiotte, fez o anúncio da extensão do vínculo por mais dois anos ao lado de Leila Pereira, dona das empresas. As perguntas feitas na entrevista coletiva, no entanto, abordaram em sua maioria a contratação do atacante Miguel Borja.

Galiotte procurou se esquivar de respostas assertivas sobre o assunto, mas não negou o interesse do Palmeiras na chegada do centroavante do Atlético Nacional. Há a expectativa de que as patrocinadoras ajudarão o clube a arcar com os 11 milhões de dólares (R$ 34 milhões) envolvidos na transação.

“Eu entendo toda a euforia e toda a ansiedade do torcedor palmeirense. Mas, por filosofia, não comentamos nomes e negociações. Não fazemos nenhum tipo de comentário até o momento em que tivermos o verde no branco”, afirmou Galiotte, evitando dizer a palavra “preto” para não fazer alusão ao rival Corinthians.

“A euforia do torcedor é contagiante. Estamos percebendo as movimentações com todas as notícias que saíram nos últimos dois dias. O Borja é um grande jogador. Um grande clube como o Palmeiras tem interesse em todos os grandes jogadores. Mas, por uma questão estratégica, nós não externamos nomes e informações”, acrescentou.

Sentada ao lado de Galiotte, Leila Pereira brincou com a repetição das perguntas sobre o atleta colombiano. “O Borja não está embaixo da mesa. Sei que todos estão esperando um gran finale“, disse a empresária, sorrindo.

Galiotte ainda aproveitou o momento para exaltar a própria gestão. O presidente disse que a “maior contratação foi manter o elenco atual”. “[Os jogadores] foram os campeões brasileiros, atingiram nosso objetivo. Nossa estrutura e nossos profissionais estão capacitados. E chegaram mais alguns atletas para agregar valor a este poderoso elenco”, afirmou.

A renovação com a Crefisa/FAM renderá R$ 72 milhões ao Palmeiras em 2017 e outros R$ 78 milhões em 2018. Os salários do atacante Lucas Barrios – R$ 1 milhão mensal – continuarão sendo pagos pelas parceiras em um contrato à parte. A extensão do vínculo ainda prevê premiações em caso de conquista de títulos.

Além da renovação, a Crefisa/FAM liberaram pouco mais de R$ 30 milhões para o clube comprar a totalidade dos direitos de Alejandro Guerra e Fabiano e os 50% restantes do atacante Dudu. Segundo Leila Pereira, o novo contrato de patrocínio é o maior do futebol sul-americano.