Gabriel critica soco de Pottker e pede punição ao atacante da Ponte

Nesta segunda-feira, o camisa 5 do Timão falou sobre a atitude do adversário e pediu que medidas sejam tomados contra o atacante da Macaca

Comentar
Compartilhar
02 MAI 2017Por Gazeta Press18h30
Gabriel foi agredido por William Pottker após ambos caírem no chão em divididaFoto: Djalma Vassão/Gazeta Press

Apesar da larga vitória do Corinthians por 3 a 0 sobre a Ponte Preta, o duelo entre as equipes na primeira partida da final do Paulistão contou com episódios de forte disputa entre os jogadores. Em um destes momentos, ainda na primeira etapa, o volante Gabriel acabou levando um soco de William Pottker enquanto estava no chão, em lance não visto pela arbitragem. Nesta segunda-feira, o camisa 5 do Timão falou sobre a atitude do adversário e pediu que medidas sejam tomados contra o atacante da Macaca.

“O lance do Pottker foi em um momento em que a bola estava no alto e eu não o vi chegando. Acabei nem subindo muito para cabecear a bola. Ele subiu nas minhas costas, caímos no chão e ficamos enroscados. Na hora de levantar ele me deu uma cotovelada com o braço esquerdo e depois me deu um soco com o braço direito”, declarou.

“No momento eu não esperava isso. Até falei para ele: ‘Pottker, não precisava fazer isso’. Acho que ele estava de cabeça quente na hora, não sei. Mas em relação a isto, as imagens estão aí, para serem mostradas e analisadas. Eu apenas disputei a bola, caímos no chão e na hora de levantar ele me agrediu. Acredito que algumas decisões podem ser tomadas em relação a este lance”, completou o volante Gabriel, em entrevista ao Sportv.

Ainda sobre o lance, o camisa 5 corintiano foi questionado se teria tido segurado o atacante pontepretano para que ele não levantasse rápido em busca do ataque. Gabriel admitiu que tomou esta atitude, mas criticou a agressão de William Pottker.

“Eu cai em cima do braço do Pottker e no momento que ele foi subir realmente nos enroscamos e não deixei ele levantar muito rápido. Mas como disseram, a agressão foi única e exclusivamente dele. Em nenhum momento eu agredi ele. No jogo acontecem muitas coisas que ninguém vê. É normal puxar ou agarrar. Mas um soco ou uma agressão já não fazem parte do futebol”, afirmou.

Apesar de ter um papel fundamental durante toda a competição, Gabriel não poderá estar em campo no próximo domingo, no jogo decisivo da final do Campeonato Paulista, pois está suspenso pelo terceiro cartão amarelo. O volante lamentou não poder entrar em campo na partida na Arena de Itaquera, mas prometeu dar apoio a seu substituto, que deve ser Paulo Roberto.

“A equipe fez um excelente campeonato até aqui. Mas não está nada definido. Temos ainda a segunda partida da decisão que sabemos que qualquer descuido pode ser fatal. Estamos focados e concentrados para domingo que vem sermos campeões. Não vou estar em campo. Estou muito chateado por isso. Mas agora tenho que esfriar a cabeça e dar apoio para quem for entrar”, completou.

A partida de volta da final do Campeonato Paulista está marcada para o próximo domingo, às 16h(de Brasília), na Arena de Itaquera. Com larga vantagem, o Corinthians pode até perder por dois gols de diferença para a Ponte Preta, que se sagrará campeão. Maior vencedor da história do torneio estadual, o Timão busca seu 28º título.