Figo vê Fifa 'doente' e diz que Blatter não tem 'capacidade para liderar'

O ex-jogador questionou as alegações do suíço de que não sabia dos supostos atos de corrupção na cúpula da Fifa

Comentar
Compartilhar
29 MAI 201516h38

Contrariado com o resultado da eleição da Fifa nesta sexta-feira Luís Figo afirmou que a entidade máxima do futebol está "doente" e que Joseph Blatter é "cínico" e não tem "capacidade para liderar a Fifa". O ex-jogador português era um dos candidatos de oposição ao suíço, mas desistiu do pleito na semana passada.

"Hoje foi outro dia negro em Zurique. Perdeu a Fifa, mas acima de tudo perdeu o futebol e todos aqueles que verdadeiramente se preocupam com ele", lamentou Figo. "Esta votação serviu apenas para endossar a eleição de um homem que não pode manter-se à frente do futebol mundial."

Para o português, a reeleição de Blatter em meio ao escândalo de corrupção revelado nesta semana mostra que a entidade está "doente". "O fato de o principal responsável pela Fifa ter chegado a este ponto ter sido reeleito diz bem como a organização está doente", afirmou.

Figo questionou as alegações do suíço de que não sabia dos supostos atos de corrupção na cúpula da Fifa. "Ou o senhor Blatter sabia e foi conivente com os atos de corrupção e tráfico de influências, ou, se não sabia - como ele diz -, é porque não tem capacidade para liderar a Fifa. Não há outra forma de ver o problema", atacou.

"É cínica a reação de senhor Blatter quando diz que não pode controlar toda a gente. Ofende a inteligência de todos nós. Foram essas pessoas que ele promoveu durante anos e que juntamente com ele, fizeram da Fifa o que ela é hoje, um organismo decadente", declarou Figo, referindo-se a figuras como Jack Warner. O ex-vice-presidente da Fifa, um dos maiores aliados de Blatter, é um dos principais suspeitos de corrupção.

Em meio ao escandalo de corrupção, Figo vê Fifa 'doente' (Foto: Divulgação)

O ex-jogador disse que Blatter precisa renunciar ao cargo nos próximos dias. "Não se pode liderar a Fifa fazendo tábua rasa das mais elementares regras de transparência, legalidade e democracia", afirmou. "Se o senhor Blatter se preocupasse minimamente com o futebol, teria desistido de se apresentar à reeleição. Se tiver um mínimo de decência, terá de renunciar nos próximos dias."

Figo era um dos três candidatos de oposição a Blatter nestas eleições da Fifa. Contudo, desistiu na semana passada, alegando decepção com a hipocrisia dos dirigentes esportivos e com a postura "ditatorial" do suíço durante a campanha. Também abandonou a candidatura o holandês Michael Van Praag.

Com estas desistências, Blatter só enfrentou o príncipe jordaniano Ali Bin al-Hussein nesta sexta. O suíço ganhou o primeiro turno por 133 a 73 votos, sem obter o suficiente para se reeleger diretamente. Antes do segundo turno, porém, o opositor desistiu da disputa e Blatter pôde ser dado como vitorioso do pleito. Ele foi eleito para seu quinto mandato à frente da Fifa.