X
Esportes

Felipão reprova dispensa e defende Eduardo Baptista: 'É uma vítima'

Em 23 jogos disputados, o agora ex-técnico do Verdão acumulou 14 vitórias, quatro empates e cinco derrotas

Luiz Felipe Scolari é um profundo conhecedor do ambiente do clube alviverde / Divulgação

Com mais de 400 jogos no comando do Palmeiras, o técnico Luiz Felipe Scolari é um profundo conhecedor do ambiente do clube alviverde. Nesta sexta-feira, por meio de sua assessoria de imprensa, o atual comandante do chinês Guangzhou Evergrande condenou a dispensa de Eduardo Baptista.

“Um absurdo a demissão. Ele está na liderança do seu grupo na Libertadores e praticamente classificado. Tem só quatro meses de trabalho. É um técnico jovem e quando se aposta assim tem que dar respaldo e tempo para o crescimento do trabalho”, declarou Felipão.

Em 23 jogos disputados, Eduardo Baptista acumulou 14 vitórias, quatro empates e cinco derrotas. Eliminado na semifinal do Campeonato Paulista com a melhor campanha, o Palmeiras lidera o Grupo 5 da Copa Libertadores com 10 pontos ganhos e precisa de um empate para garantir a classificação às oitavas de final.

“A culpa não é só do técnico, tem que se observar outros fatores e setores do clube que determinam um momento irregular de uma equipe. No caso do Eduardo Baptista ainda teve uma parcela de responsabilidade de parte da imprensa que fez uma pressão para sua saída”, afirmou Felipão.

Em duas passagens pelo Palmeiras (1997-2000 e 2010-2012), Luiz Felipe Scolari conquistou a Copa do Brasil (1998 e 2012), a Copa Mercosul (1998), a Copa Libertadores (1999) e o Torneio Rio-São Paulo (2000). Em 2012, foi o técnico em parte da campanha que terminou com o rebaixamento à Série B do Campeonato Brasileiro.

“O Eduardo Baptista é uma vítima”, declarou o ex-treinador da Seleção Brasileira. “Gostaria de estar aí para dar um abraço nele neste momento. Está na hora dos técnicos se manifestarem para acabarmos com este tipo de situação”, clamou o experiente Felipão.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Política

Moro lamenta morte em SE, mas elogia Polícia Rodoviária Federal

Genivaldo de Jesus Santos morreu por asfixia em uma ação da PRF, no final da tarde de quarta-feira (25)

Saúde

Plano de saúde individual vai subir 15%, a maior alta em 22 anos

O percentual mais elevado já autorizado pela ANS até hoje havia sido de 13,57% em 2016

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software