X

SANTOS

Fãs resgatam memórias de Pelé em última homenagem ao Rei do Futebol

Velório do Atleta do Século segue até 10h desta terça, na Vila Belmiro

Lincoln Chaves - Repórter da TV Brasil e Rádio Nacional

Publicado em 02/01/2023 às 19:42

Atualizado em 02/01/2023 às 20:21

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Fã de Pelé / Rovena Rosa/Agência Brasil

Milhares de pessoas compareceram, nesta segunda-feira (2), ao velório de Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, que é realizado no Estádio Urbano Caldeira, a Vila Belmiro, em Santos (SP). Muitas delas aproveitaram a oportunidade de um último adeus ao ídolo trazendo, nas mãos ou no próprio corpo, lembranças do Rei do Futebol.

O aposentado Célio Pegoraro morava em Cascavel (PR) quando o filho e a nora (que era conhecida de Edinho, filho de Pelé) conseguiram o autógrafo do Atleta do Século em uma camisa. Há quatro anos morando em Santos, Célio foi com a relíquia ao funeral.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

“Ganhei a camisa de presente de aniversário, fiquei muito feliz. O Pelé representa tudo para mim, em termos de futebol. Comecei a torcer pelo Santos nos anos 1960 graças ao Pelé. O pessoal da escola só falava em Pelé, Coutinho, Pepe, todo aquele esquadrão. Essa camisa vou guardar até o resto dos meus dias. Usei muito pouco, mas não teria uma data melhor para usar do que hoje”, disse o aposentado à Agência Brasil.

O professor de Educação Física Fábio Bianco trouxe consigo de São Paulo, onde mora, um exemplar do jornal Folha de São Paulo, de 20 de novembro de 1969, alusivo ao milésimo gol de Pelé, anotado um dia antes, contra o Vasco, no Maracanã, no Rio de Janeiro. A publicação traz estatísticas e fotos do Rei do Futebol nos gramados e também com a família.

“Eu tinha um acervo sobre futebol e sempre ia ao centro de São Paulo fazer uma espécie de garimpagem. Achei essa raridade em 2001 ou 2002. Não estava em um estado muito bom, porque não estava guardada com plástico, então tem muita marca de traça, mas a matéria está completa. É uma raridade de aproximadamente 53 anos, com oito a dez páginas. Ela não pertence só a mim, mas a todos nós, pois, assim como o Pelé, é um patrimônio do povo brasileiro”, destacou Bianco, que também é guia de turismo.

O velório

O corpo de Pelé foi transportado do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, à Vila Belmiro durante a madrugada desta segunda. O caixão está no centro do gramado do estádio. O acesso do público ao velório, que teve início às 10h (horário de Brasília), acontece pelos portões 2 e 3 (Rua Dom Pedro), enquanto o de autoridades se dá pelos portões 10 e 15 (Rua Princesa Isabel).

Foram erguidas duas tendas no gramado. Uma delas, onde está o caixão, é destinada a familiares, ídolos históricos do Santos e convidados. A outra é voltada a demais autoridades. O público caminha por um tablado, passando à esquerda da primeira tenda, em fila indiana.

Após o velório, que termina às 10h de terça-feira (3), será realizado um cortejo pelas ruas de Santos, que passará pela Avenida Coronel Joaquim Montenegro (Canal 6), onde vive a mãe de Pelé, Celeste Arantes. De lá, o corpo será levado à Memorial Necrópole Ecumênica, para sepultamento às 12h, em cerimônia restrita a familiares.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Cotidiano

Confira o resultado do Timemania no concurso 2098, nesta terça (28)

O prêmio é de R$ 3.000.000,00

Cotidiano

Confira o resultado do Dia de Sorte no concurso 919, nesta terça (28)

O prêmio é de R$ 550.000,00

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter