Expulso em final, Paulo Miranda será desfalque na pré-Libertadores

Paulo Miranda foi expulso após confusão que se formou ao término do primeiro tempo da partida da fina da Copa Sul-Amercana, contra o Tigre - ARG.

Comentar
Compartilhar
13 DEZ 201212h01

O São Paulo já tem um desfalque certo para a fase preliminar da Copa Libertadores de 2013, cujo primeiro jogo será em 23 de janeiro. Paulo Miranda foi expulso nesta quarta-feira, na confusão que encerraria mais cedo a final da Copa Sul-americana contra o Tigre, e terá que cumprir suspensão automática na próxima competição organizada pela Conmebol.

Zagueiro de origem, ele se firmou como titular na equipe do técnico Ney Franco atuando improvisado pelo lado direito. Se o clube não contratar ninguém para o setor, é possível prever que o substituto será o antigo dono da posição, o lateral de ofício Douglas.

Paulo Miranda foi expulso pelo árbitro Enrique Osses no intervalo da partida contra o Tigre. A confusão teve início quando o meia-atacante Lucas mostrou a Orban o curativo ensanguentado que usava após sua cotovelada. Jogadores dois times começaram a trocar agressões.

Sem camisa, Paulo Miranda se envolveu na confusão com os argentinos e acabou expulso pelo árbitro da partida (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

Sem deixar por menos, o camisa 13 tricolor encarou os argentinos e levou a mão ao rosto, como se pedisse para que tentassem acertar sua cara. Um deles veio correndo de longe e lhe deu um tranco na escadaria que leva ao vestiário mandante.

"Na saída do intervalo, um jogador do time deles (Díaz) veio tentando me agredir. Acabei tentando sair, mas o árbitro entendeu de forma diferente. Ele estava bastante alterado, querendo briga, tentei descer para o vestiário, e ele me deu um chute. O juiz viu e expulsou nós dois", disse o são-paulino.

Apesar da expulsão, que acabou não comprometendo a vitória por 2 a 0 porque o Tigre se recusou a voltar para o segundo tempo, Paulo Miranda só pensava em comemorar o título da Sul-americana. No começo da temporada, o beque foi muito criticado e chegou a ser proibido pela diretoria de atuar após falhar na eliminação do Campeonato Paulista.

"Eu me sinto muito realizado. O ano foi difícil para mim, mas eu mantive a cabeça no lugar. Tenho família, filho, para me dar força. Na desconfiança de alguns, mantive meu foco, procurei agarrar a oportunidade e estou feliz com essa conquista", concluiu.