Para Tite, Emerson Sheik está "esquentando"

Tite elogia evolução, e atacante deve entrar durante a partida contra o Inter;

Comentar
Compartilhar
17 NOV 201216h44

Terminado o rachão desta sexta-feira (16), o elenco do Corinthians foi dividido em grupos com atividades específicas. Em um campo à parte do restante dos atletas, Tite trabalhou diretamente com os atacantes, fazendo o papel de zagueiro enquanto eles se livravam da marcação para finalizar. O treinador ficou bastante atento à movimentação do Sheik, que não joga há mais de um mês por conta de uma lesão no joelho direito.

De acordo com ele, o camisa 11 evoluiu bastante ao longo da semana, tem condições de atuar por 70 minutos e vai ficar no banco de reservas contra o Internacional, amanhã. “O primeiro treinamento da semana foi mais difícil, ele estava mais amarrado. A partir do meio da semana, melhorou. Ele está mais desenvolto, mais solto”, disse o comandante do Timão, que escalou o atacante pela última vez no dia 13 de outubro.
 
Emerson começou a mostrar essa desenvoltura antes mesmo do trabalho específico com o chefe. No rachão, foi abraçado por muitos companheiros depois de matar uma bola no peito, girar e marcar um golaço. “Existem momentos em que a qualidade técnica individual aparece, e essa é uma característica dele. Ele tem a qualidade do lance pessoal”, afirmou Tite, sem deixar de ser Tite. “Cinco jogadores participaram do lance até que a bola chegasse a ele. É construção de jogada”, vibrou.
 
Emerson não atua desde o dia 13 de outubro (Foto: Diorio Conte/Estadão Conteúdo)
 
Jorge Henrique fora
 
Os recorrentes problemas na coxa direita de Jorge Henrique o impedirão de atuar contra o Internacional. Sem o camisa 23, Tite ficou sem qualquer dúvida na escalação da equipe que vai ao Sul. Ele confirmou a volta de Danilo à linha de armadores e a manutenção do argentino Martínez, que luta por uma vaguinha na formação titular no Mundial.
 
De acordo com Tite, não haverá problemas na utilização de Fábio Santos e Paulinho. Os dois jogadores participaram do empate do Brasil com a Colômbia, na quarta-feira, mas o intervalo entre a partida da Seleção e a contra o Inter é suficiente para a recuperação.

Colunas

Contraponto