Érika Andrade assume primeiro lugar do ranking brasileiro de jiu-jitsu

Atleta de São Vicente já soma sete medalhas conquistadas na temporada

Comentar
Compartilhar
16 AGO 2019Por Da Reportagem20h02
Aos 35 anos e em grande fase, Érika teve uma meteórica ascensãoFoto: Divulgação

A temporada de 2019 é a melhor na carreira da lutadora de jiu-jitsu Érika Andrade. A atleta de São Vicente da Tio Chico Academia e equipe Qatarbjj tem brilhado nas competições e recebeu uma grande notícia nesta semana: assumiu o primeiro lugar do ranking brasileiro da modalidade, na categoria Master, peso pesado.

Aos 35 anos e em grande fase, Érika teve uma meteórica ascensão. A faixa roxa começou o ano no 32º lugar do ranking nacional. As grandes lutas que realizou na temporada fizeram com que desse o salto de posições. Agora, ocupando o topo, a lutadora soma 421,5 pontos. A segunda colocada na categoria é Géssica Rodrigues Nien, com 259,5 pontos.

"Esse é um momento especial, o melhor da minha carreira. Tudo isso é fruto de muito treino e dedicação. Consegui chegar aqui também graças ao apoio da família e amigos, que sempre estão ao meu lado dando força, além das rifas que vendo para poder custear as despesas das competições", afirmou Érika.

Neste ano já foram sete medalhas conquistadas. Deste total, quarto são de ouro. Destaque para os títulos no Campeonato Internacional Master 2019 South America, nas categorias Absoluto e Master 1, no Floripa Open e Brasileiro. Todas as competições que triunfou são chanceladas pela Confederação nacional da modalidade.    

A modificação do programa de treinamento é apontada por Érika como um dos fatores decisivos para chegar até o topo do ranking nacional. Desde o início da temporada, a atleta já emagreceu 20 quilos graças ao aumento no ritmo das atividades. Em determinados momentos, principalmente perto de grandes disputas, a lutadora chega a realizar até cinco sessões diárias, divididas entre parte física e técnica.

"Já cheguei a fazer duas atividades para aprimorar a parte técnica na Tio Chico Academia, outras duas no Bruca de preparação física específica de jiu-jitsu e ainda mais uma de cross fit. Esse esforço valeu a pena. Agora é seguir trabalhando duro para poder seguir nesta posição", declarou a lutadora.

Novos desafios se aproximam. Confirmados no calendário de competições da modalidade, Érika terá pela frente dois grandes eventos, o SP Open e o Sul-americano. Agora, após assumir o posto de número um, passou da posição de caçadora a caça. Nada que assuste a vicentina.

"Eu sou movida por desafios. Almejo sempre mais, como poder competir no Campeonato Europeu, em Lisboa, no ano que vem. Esse ano tive que adiar o sonho de disputar o Mundial, já que não consegui o visto americano. Acredito que tudo tem seu tempo e na melhor hora acontecerá", comentou a lutadora.   

Sabor especial

A 'dona do pedaço' no ranking brasileiro de jiu-jitsu saboreia de forma especial o momento já que ele veio com muita luta dentro e fora dos tatames. Sem contar com nenhum patrocínio, Érika tem que vencer outros desafios para poder competir. A atleta custeia do seu próprio bolsa as inscrições, transportes e hotéis.

"Esse é outro grande desafio que tenho enfrentado com muita determinação. Sigo com minhas rifas e contando com a colaboração de todos. Quem sabe, com essa conquista do primeiro lugar no ranking nacional, eu consiga algum patrocínio", disse a lutadora.

Colunas

Contraponto