Equilíbrio e disputa por posições tomam conta do NBB

Antes da 28ª rodada, campeonato possui disputas intensas pelo G-4 e também por vagas aos playoffs

Comentar
Compartilhar
08 MAR 201318h33

Faltam nove rodadas para o fim da primeira fase e o NBB 2012/2013 apresenta um grande equilíbrio em sua tabela de classificação. Os resultados da 27ª rodada da competição, disputada na última quinta-feira, deixaram as equipes parelhas na atual temporada e os jogos a serem realizados neste sábado (28ª rodada) ganharam maior importância no atual cenário.

Na briga pelo G-4, Unitri/Universo e Vivo/Franca, que ocupam a terceira e quarta colocações, respectivamente, foram derrotados, mas mantiveram suas posições, com campanhas de 17 vitórias e oito derrotas (65,4% de aproveitamento).

Os mineiros perderam para o Palmeiras, após uma verdadeira batalha, decidida apenas na quarta prorrogação. Enquanto isso, os representantes do interior paulista sofreram um inesperado revés para o até então lanterna Suzano/Cesumar Campestre.

Aliás, o time francano é uma das provas mais vivas do equilíbrio do campeonato. Além de ter sido derrotado pelo esquadrão susanense, que deixou a última colocação do NBB após o trunfo, a equipe comandada pelo técnico Lula Ferreira foi protagonista de um dos maiores feitos da temporada: tirar a invencibilidade de 20 jogos do líder Flamengo, fora de casa.

"Se você jogar bem, você tem possibilidade de ganhar de qualquer um. Se você jogar mal, você também pode ser derrotado por qualquer um. Todas as equipes tem suas qualidades. Você não pode avaliar os times pela colocação deles no campeonato e sim pelas qualidades que essa equipe possui. Isso está dando um gás legal no campeonato porque não tem nenhum jogo que você entra tranquilo", explicou o treinador francano Lula Ferreira.

Franca, do pivô Lucas, e Bauru, do norte-americano Jeff, brigam por vaga no G-4 (Foto: Divulgação)

Porém, apesar de ainda integrarem o G-4, Uberlândia e Franca terão que lidar com a forte concorrência na briga por um posto entre os quatro melhores colocados do campeonato. O Paschoalotto/Bauru, dono do quinto lugar, venceu o Tijuca/Rio de Janeiro, chegou ao 16º triunfo em 25 jogos realizados (64% de aproveitamento) e segue na cola.

Quem também entrou de vez na disputa por uma vaga no G-4 foi o São José/Unimed. A equipe do Vale do Paraíba venceu o Pinheiros/SKY e também somou o 16º resultado positivo na competição, mas em 26 jogos disputados (61,5% de aproveitamento). Mesmo com a derrota, os pinheirenses também estão firmes na disputa, já que se mantiveram na sexta colocação, com 16 vitórias em 25 compromissos no NBB (64% de aproveitamento).

Além disso, Paulistano/Unimed e Icatu/Minas, que somam 14 vitórias na competição, também ainda possuem chances reais de terminarem a primeira etapa do campeonato no grupo dos quatro primeiros colocados.

Enquanto isso, um pouco mais para baixo, a briga também é intensa pelas últimas três vagas aos playoffs. SKY/Basquete Cearense e Liga Sorocabana somam 11 triunfos e 14 derrotas (44% de aproveitamento), e se encontram na 10ª e 11ª posições, respectivamente - os nordestinos levam vantagem nos critérios de desempate. Logo atrás vem Limeira, que soma 11 vitórias e 15 derrotas (42,3% de aproveitamento).

Com a derrota destas três equipes na 27ª rodada, o Mogi das Cruzes/Helbor, 13º colocado, ganhou uma força extra na disputa. Os mogianos foram até a cidade de São Paulo, bateram o Paulistano e chegaram ao décimo resultado positivo em 26 jogos disputados (38,5% de aproveitamento).

Uma posição abaixo está o Cia. do Terno/Romaço/Joiville, que interrompeu uma sequência de oito derrotas consecutivas, ao bater o Basquete Ceearense, também nesta quinta-feira. Agora, os catarinenses possuem nove triunfos em 26 compromissos no NBB (34,6% de aproveitamento).

"A vitória de ontem (quinta-feira) nos deu um novo ânimo. Restam nove rodadas para o fim da fase de classificação e a possibilidade de nos classificarmos é grande. O campeonato este ano está muito equilibrado e quem ganha com isso é o basquete brasileiro. Com isso, fica mais fácil para a captação de patrocínios e na formação de ídolos também. O NBB não só é um dos melhores campeonatos da América, como de todo o mundo", explicou o técnico do Joinville, Ênio Vecchi.

Ainda nesta disputa pode-se incluir o Vila Velha/Garoto/UVV. Com oito vitórias em 26 partidas disputadas (30,8% de aproveitamento), a equipe capixaba ainda sonha em participar da pós-temporada do NBB.

Aumento de vitórias dos visitantes

O equilíbrio na competição pode ser explicado por diversos motivos. Porém, um deles é o crescimento das vitórias das equipes que atuam fora de seus domínios em relação ao último NBB.

Em toda a edição 2011/2012 foram 90 triunfos dos visitantes (36%). Na atual temporada, as equipes que atuam longe de casa já conquistaram 91 resultados positivos (41%) e já superaram o número do campeonato passado, mesmo com nove rodadas para o fim da fase de classificação.