Enderson deu coletiva já demitido; ‘Boca aberta’ e insatisfação decretaram saída

Modesto Roma Jr convocou a imprensa na tarde desta quinta-feira com o intuito de esclarecer todos os pontos que envolveram a saída do técnico

Comentar
Compartilhar
05 MAR 201518h03

Modesto Roma Jr convocou a imprensa na sala de coletiva da Vila Belmiro na tarde desta quinta-feira com o intuito de esclarecer todos os pontos que envolveram a saída do técnico Enderson Moreira. Diante de uma sala lotada, o mandatário admitiu que o agora ex-treinador do clube já sabia que deixaria o clube antes de se dirigir à entrevista coletiva, por volta do meio-dia, no CT Rei Pelé.

"Já. já tínhamos conversado, conversamos por volta das 11h. Eu fui ao CT conversar com ele. sou uma pessoa que gosta de conversar e encarar os problemas de frente. E achei que, em agumas coisas, ele estava se abrindo demais com vocês (jornalistas). Estava externando coisas que deveria externar pessoalmente e internamente", disse o presidente.

No entanto, o presidente defendeu a atitude de Enderson e não entende que o profissional “mentiu” ao falar com os jornalistas mesmo ciente de que já não era o comandante do elenco.

"Foi isso. Ele não mentiu a vocês porque, naquele momento, estávamos discutindo questões do acordo. Foi uma saída acordada entre nós. Não foi dispensa nem pedido de demissão", explicou.

Modesto Roma Jr explicou a saída de Enderson Moreira (Foto: Divulgação/Santos FC)

Ao ser questionado sobre as principais causas que decretaram a queda de Enderson Moreira, Modesto Roma Jr admitiu que chamou o técnico para conversar na manhã desta quinta-feira sobre suas últimas declarações. Seus incansáveis pedidos pela contratação de Walter, atacante reserva do Fluminense, e principalmente as críticas pesadas aos jogadores revelados pela base santista incomodaram os dirigentes. Porém, o técnico aproveitou o momento para externar suas insatisfações com o elenco e cobrar atrasos nos pagamentos de direitos de imagem. Diante disso, a situação se tornou insustentável.

"Ele disse que não estava satisfeito com algumas coisas, falou sobre contratações, sobre o direito de imagem atrasado, sobre algumas coisas que não agradavam. Eu disse que entendia a reclamação e que poderíamos discuti-las", comentou Modesto, garantindo que a insatisfação revelada por Enderson não o pegou de surpresa. "Não é questão de surpresa. Quando vamos para o diálogo, ficamos abertos a ouvir tudo. Não quero achar que alguma coisa é surpresa ou não. É questão de diálogo. Pessoas revelam suas posições", completou.

Enquanto busca um novo treinador para o time, o Peixe será comandado por Marcelo Fernandes, membro da comissão permanente do clube, e será auxiliado por Serginho Chulapa. O próximo compromisso do Santos no Campeonato Paulista está marcado para às 18h30 deste domingo, contra o Botafogo-SP, em Ribeirão Preto.