X
Esportes

Em reencontro após 7 a 1, Brasil vence a desfalcada Alemanha em Berlim

O técnico Tite conseguiu o que queria: partir para a Rússia sem a presença do fantasma que há quatro anos assombra o time

Gabriel Jesus marcou o gol da vitória / Divulgação/CBF

Quatro anos depois de passar pelo maior vexame de sua história, a seleção brasileira derrotou uma desfalcada Alemanha por 1 a 0 em Berlim, no último amistoso antes da convocação para a Copa do Mundo. Em nenhuma de suas dimensões a partida desta terça-feira tinha o peso da semifinal do Mundial de 2014. Mas Tite conseguiu o que queria: partir para a Rússia sem a presença do fantasma que há quatro anos assombra o time.

A Alemanha já havia esvaziado a partida. Joachim Löw mandou para campo um time com sete reservas e, durante a partida, fez cinco mudanças. O objetivo era o de testar novatos e opções diferentes para a Copa do Mundo. Mesmo assim, o time deu trabalho para a seleção brasileira.

Em comparação ao jogo da semana passada contra a Espanha, o alemão manteve apenas quatro titulares, deixando os demais no banco ou mesmo dando folga. Em relação ao jogo de 2014, apenas Boateng e Kroos voltaram agora a enfrentar o Brasil.

Antes de entrar para o jogo, o técnico Tite admitiu que a partida era o "maior teste emocional e psicológico" de seu grupo e que "vivia todos os dias com o fantasma" da derrota de 7 a 1 em 2014.

Sem contar com Neymar, machucado, Tite usou a partida para encontrar uma nova formação de uma seleção, ciente de que precisa reduzir sua dependência em relação ao jogador do Paris Saint-Germain. Ele colocou em campo uma equipe com Paulinho, Casemiro e Fernandinho, remanescente da semifinal de 2014, com o objetivo de fortalecer o meio-campo. A estratégia funcionou.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Saúde

Anvisa aguarda dados da Pfizer sobre variante delta para decidir sobre vacina para crianças

Ministério da Saúde prevê, no plano de vacinação do próximo ano, imunizar 70 milhões de crianças, o que depende de aprovação da agência

Saúde

Cubatão reduz para 4 meses o intervalo da dose adicional da vacina

A nova orientação vale para todas as pessoas a partir de 18 anos que tomaram as duas doses há pelo menos 120 dias

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software