Em jogo feio, Corinthians fica no 0 a 0 com o Botafogo-SP em Ribeirão

A partida de volta das quartas de final do Campeonato Paulista será disputada no domingo de 9 de abril, em Itaquera

Comentar
Compartilhar
01 ABR 2017Por Gazeta Press20h30
Jô foi um dos que mais lutaram na noite de pouca inspiração do CorinthiansFoto: Celio Messias/Gazeta Press

Em um jogo de fraco nível técnico, o Corinthians não foi além de um empate por 0 a 0 com o Botafogo-SP, no início da noite deste sábado, em Ribeirão Preto. A partida de volta das quartas de final do Campeonato Paulista será disputada no domingo de 9 de abril, em Itaquera.

Antes de voltar a se preocupar com esse duelo eliminatório, o Corinthians terá pela frente o início de outro mata-mata, pela Copa Sul-Americana. Enfrentará a Universidad de Chile na noite de quarta-feira, em casa.

O jogo – Com melhor campanha no grupo A e muito mais tradição do que o Botafogo-SP, o Corinthians adotou uma postura respeitosa no Estádio Santa Cruz. O time dirigido por Fábio Carille esperava o adversário tomar a iniciativa de atacar dentro de casa e ainda se mostrava pouco criativo quando tinha a bola nos pés.

Para piorar, o Corinthians insistia demasiadamente em avançar pela ponta esquerda, onde estava o volante Maycon. Improvisado no setor, o prata da casa demonstrava dificuldades para se desvencilhar da marcação do Botafogo-SP e tramar jogadas de lado com Guilherme Arana.

Jô, incomodado com a situação, passou a buscar o jogo no meio-campo. O centroavante até fez algumas jogadas de efeito, mas também não conseguiu atuar coletivamente. O Corinthians errava muitos passes e recorria aos chutões na esperança de fazer o goleiro Neneca trabalhar.

O Botafogo-SP só foi se assustar mesmo aos 43 minutos, quando Jadson acertou bom lançamento para Jô dominar do lado direito. O centroavante bateu em cima de Neneca. Na sobra, Maycon completou de cabeça na entrada da pequena área e parou no bloqueio de Bileu.

Os problemas de armação do Corinthians fizeram o Botafogo-SP, empurrado por sua torcida, criar coragem e soltar-se no princípio do segundo tempo. Aos cinco minutos, por exemplo, Francis encarou a marcação de Fagner na ponta esquerda e bateu por cima da meta.

Ameaçando acordar, o Corinthians respondeu aos dez. Jô fez bom passe para Romero dentro da área, e o atacante paraguaio dominou e ajeitou o corpo antes de arrematar. A bola subiu demais novamente.

Como o indício de melhora do Corinthians não se confirmou, Carille enfim entrou em ação, aos 25 minutos. O técnico promoveu a estreia do atacante Clayton, emprestado pelo Atlético-MG, no lugar do volante Camacho, realocando Maycon no meio-campo.

O nível da partida, no entanto, continuou muito ruim. Pelo Corinthians, Romero emendou de primeira em um cruzamento de Clayton e desferiu um chute totalmente torto, fazendo os torcedores pedirem a entrada de Léo Jabá. Rafael Santos não ficou atrás e mandou para a lateral ao tentar inverter o jogo. E até o árbitro Flávio Rodrigues de Sousa esbarrou na bola para contribuir com o duelo feio.

Romero teve tempo de errar mais algumas vezes antes de ceder o seu lugar a Léo Jabá, já aos 37 minutos. Àquela altura, entretanto, o Corinthians parecia não ter mais forças para reverter a apatia do restante da partida.