Em Curitiba, Valcke se irrita com a denúncia de duplo salário

O caso teria ocorrido em 2006, em um período que ele esteve fora do cargo que ocupa atualmente na entidade

Comentar
Compartilhar
22 ABR 201419h41

O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, negou nesta terça-feira que tenha ocorrido algum tipo de irregularidade em receber US$ 100 mil por um contrato para prestar uma consultoria para a CBF na formatação do projeto da Copa do Mundo no Brasil. O caso teria ocorrido em 2006, em um período que ele esteve fora do cargo que ocupa atualmente na entidade.

Visivelmente irritado, Valcke disse que o assunto "era passado" e que estava dentro das normas. "Todos os contratos foram rescindidos dentro do prazo e não tem porque ser questionado por coisas do passado. Recebi da Fifa dentro do que prevê a legislação de trabalho suíça, como acontece em todos os lugares, como um aviso (prévio)", comentou o dirigente.

Valcke comentou a denúncia, publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo, em uma entrevista coletiva na tarde de terça-feira, após realizar a quarta vistoria na Arena da Baixada, em Curitiba, juntamente com o governador do Paraná, Beto Richa, o ministro do Esporte, Aldo Rebello, o presidente do Atlético-PR (dono do estádio), Mário Celso Petraglia, além de representantes do Comitê Organizador Local (COL), como o ex-jogador Ronaldo, e autoridades.

Sobre o estádio de Curitiba, Valcke cobrou maior rapidez nas conclusões das obras e destacou a necessidade da colocação de mais 27 mil cadeiras, estruturas temporárias e também a proteção para o gramado. Além disso, abriu as datas de 14 de maio para mais um evento-teste e se for necessário outro antes do dia 21, data limite para o estádio passar para a coordenação da Fifa.

Valcke se irritou com a denúncia de duplo salário (Foto: Divulgação)

"Não falta pouca (coisa), ainda são 27 mil assentos a serem instalados, estamos vendendo ingressos para as pessoas verem os jogos sentadas, eles estão sendo vendidos com planejamento", comentou o dirigente.

Sobre outros aspectos do estádio, como limpeza, pintura e outros acabamentos, Valcke disse que o principal será finalizar outras partes. "Dia 14 (no evento-teste), o mais importante será atender a mídia, os jogadores, torcedores e arbitragem", disse. Ele também ressaltou a necessidade de estar com toda a comunicação e tecnologia perfeita para que a Copa chegue ao mundo inteiro. "A TI (tecnologia da informação) é uma grande preocupação", disse.

Para o evento-teste do dia 14 de maio, Petraglia contou que ainda não há nada definido. "Não temos os clubes que irão participar, pois tivemos uma reunião hoje (terça-feira) sobre isso e, assim que tivermos essa informação, vamos passar", avisou o presidente do Atlético-PR.