Em áudio, Robinho diz ser perseguido pela Globo e se compara a Bolsonaro

Comentar
Compartilhar
17 OUT 2020Por Folhapress15h08
Foto: Ivan Storti/Santos FC

Em áudios enviados pelo aplicativo WhatsApp a amigos, o jogador Robinho, 36, se diz perseguido pela Rede Globo e se compara ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que, segundo ele, teria sido atacado pela emissora durante as eleições presidenciais de 2018.

Nesta sexta-feira (16), reportagem do site ge.globo, do Grupo Globo, revelou interceptações telefônicas autorizadas pela Justiça italiana tidas como fundamentais para a condenação em primeira instância de Robinho por violência sexual de grupo.

"Bebeto, tô em paz, irmão. Como falei, Deus está me preparando para algo muito maior. No deserto, é nesses ataques que você se aproxima de Deus e se prepara. A gente tem N exemplos aí. Você viu o que fizeram com o Bolsonaro antes da eleição? O ataque que fizeram ao cara? Falando que o Bolsonaro era isso e aquilo? Que o Bolsonaro era racista, fascista, que era assassino? E quanto mais eles batiam no Bolsonaro, mais ele crescia. Então estou em paz mesmo, de coração. Não estou preocupado com eles", diz Robinho em um dos áudios.

"O bem sempre vence e a verdade vai aparecer. Os caras aí são pessoas usadas pelo demônio, né? A gente sabe como a TV Globo é uma emissora do demônio. É só você ver as novelas, as programações. Então eu estou em paz. Deus vai dar a vitória. Que se cumpra o propósito de Deus na minha vida. Meter gol neles, 'tamo junto'. Vou meter uma camisa quando fizer gol: 'Globo lixo, Bolsonaro tem razão'", completa o jogador.

Em outro áudio, Robinho afirma que não vai "desistir jamais". "Fala para ele ficar tranquilo, esses ataques aí da Globo esses caras não vai (sic) me afetar, não, porque Deus está no controle de tudo, entendeu? Só blindar minha família dessas coisas porque a esposa, meus pais e os meus filhos são as pessoas que mais sofrem", diz o atleta.

"Mas eu estou tranquilo, entendeu? A gente sabe que essa emissora não é uma emissora que preserva coisas boas. Dão muita a ênfase a coisas negativas. Então eles querem ganhar ibope. E obviamente o Santos não tem nada a ver com meus problemas pessoais. Mas eu vir para o Santos também ajuda, porque eles acham que o Santos é time pequeno e o Santos é gigante. Eles acham que os times grandes são só os de São Paulo, entendeu? Mas fala para o Marcelo que eu tô tranquilão. De boa, me preparando para entrar e meter gol", conclui.