Duas Medalhas! Bia Ferreira e Hebert Conceição vencem lutas e estão na final do boxe

Esta é a primeira vez que o Brasil chega a duas decisões olímpicas na modalidade em uma mesma edição dos Jogos

Comentar
Compartilhar
05 AGO 2021Por Da Reportagem09h00
O boxeador Hebert Conceição garantiu para o Brasil mais uma medalha da modalidade nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020O boxeador Hebert Conceição garantiu para o Brasil mais uma medalha da modalidade nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020Foto: Júlio César Guimarães/COB

O boxe segue dando muitas alegrias ao torcedor brasileiro nos Jogos Olímpicos e, ao lado do skate, é a modalidade que garantiu o maior número de medalhas ao país: três. E parte deste sucesso deve ser atribuído a Beatriz Ferreira (60kg) e Hebert Conceição (75kg). Medalhistas no Mundial de 2019, os pugilistas repetiram a dose em Tóquio.

Nesta quinta-feira, 5, Bia venceu a finlandesa Mira Potkonen, bronze no Rio 2016 e uma das poucas atletas que já havia derrotado a brasileira no boxe olímpico. A agressividade demonstrada desde o início do combate foi determinante para o sucesso de Bia na luta, cuja superioridade foi apontada pelos cinco árbitros.

“Estar no pódio é o objetivo final, mas separamos por metas. É degrau por degrau. Fui alimentando isso, estudando as adversárias e hoje estou feliz aqui, mas ainda não acabou. Tenho isso em mente”, disse Bia, que já projetou a decisão contra a irlandesa Kellie Harrington.

“Queria muito essa luta. Participamos de alguns campeonatos, mas infelizmente não chegamos a lutar. Ela é campeã mundial, tem todo o meu respeito e estou bem ansiosa para esse espetáculo. Espero sair com a vitória e mandar essa medalha para o meu pai”, completou.

Uma hora depois, foi a vez de Hebert Conceição encarar o russo Gleb Bakshi, campeão mundial da categoria em 2019 e algoz do brasileiro na ocasião. Mas Hebert entrou com uma postura totalmente diferente e dessa vez conseguiu sair com a vitória.

“Estava um pouco tenso antes da luta, como sempre fico. Acho que temos que ter essa adrenalina, treinei muito com a minha equipe. Foi bom que consegui reverter mais essa revanche. Peguei uma chave muito dura”, contou o atleta que, assim como Bia, é natural de Salvador (BA).

“A cada luta vamos ganhando mais confiança, o que faz toda a diferença. Seja o evento que for, sempre entro mais travado e, conforme vai passando o tempo, vou ganhando mais confiança. Estou muito seguro para fazer um bom trabalho na final e trazer mais uma medalha de ouro”.

Com estes resultados, o boxe brasileiro chega a duas finais olímpicas em uma mesma edição dos Jogos pela primeira vez em sua história. Antes deles, Abner Teixeira (91kg) já havia assegurado a medalha de bronze após alcançar as semifinais do torneio, tendo perdido para o cubano Julio César de La Cruz -no boxe olímpico, os dois semifinalistas derrotados terminam em terceiro lugar.

Hebert volta ao ringue no sábado, 7, às 14h45 (2h45 no horário de Brasília). Já Bia luta no dia seguinte, às 14h no horário local (2h em Brasília).