Dracena vê ligeiro favoritismo do Timão e minimiza jogo no Morumbi

Sem utilizar o antigo ditado do futebol, de que “clássico não tem favorito”, o defensor apontou uma ligeira vantagem ao Corinthians

Comentar
Compartilhar
27 FEV 201315h07

Capitão do Santos, o zagueiro Edu Dracena concedeu entrevista coletiva após o treino realizado na manhã desta quarta-feira, no CT Rei Pelé. Sem utilizar o antigo ditado do futebol, de que “clássico não tem favorito”, o defensor apontou uma ligeira vantagem ao Corinthians, adversário do Peixe em jogo marcado para o próximo domingo, às 16 horas (de Brasília), no Morumbi.

Para Dracena, o fato de o Timão possuir um conjunto mais entrosado do que o santista, que passou por algumas transformações em relação ao ano passado, dá um pequeno favoritismo aos corintianos, no duelo válido pela 10° rodada do Campeonato Paulista.

“Acredito que é 51 contra 49% (de chances), a favor do Corinthians. O elenco deles está junto há mais tempo do que o nosso, ganhou a última (Copa) Libertadores e o Mundial de Clubes (da Fifa). Temos de respeitá-los. Além disso, o time titular deles praticamente não mudou, chegaram poucas peças e de qualidade. Mas isso (favoritismo) não entra em campo. Lá dentro, você tem que se dedicar ao máximo para vencer”, analisou o camisa 2 do Alvinegro Praiano.

Capitão do Santos, o zagueiro Edu Dracena, acha que a garra aliada à qualidade técnica fazem a diferença em um clássico (Foto: Divulgação/ Santos FC)

Segundo Edu Dracena, a garra demonstrada durante a partida, aliada a qualidade técnica, fazem a diferença em um clássico de tamanha importância. “O favoritismo é muito pouco. Se você iguala na vontade, a qualidade técnica vai sobressair. É um jogo muito importante para as duas equipes, que vão fazer de tudo para ganhar. A moral do vencedor (do clássico) cresce muito para a sequência da competição”, ponderou.

Indagado sobre o fato de o Santos atuar no Morumbi, já que a Vila Belmiro foi suspensa por um jogo pelo Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo (TJD-SP), por conta da “chuva de moedas” da qual o meia Paulo Henrique Ganso foi alvo, na vitória do Peixe sobre o São Paulo, no último dia 3, o zagueiro optou por minimizar a importância desta questão.

“Acredito que o nosso torcedor vai lotar o Morumbi. Temos que fazer desse estádio a nossa segunda casa, contra o Corinthians. Mas devemos lembrar que o Santos disputou a final do Paulistão do ano passado lá, contra o Guarani, nos sentimos em casa e fomos campeões. Não podemos ficar nessa discussão entre jogar na Vila e atuar lá, porque já foi decidido. Temos que fazer o nosso melhor dentro de campo. Acredito muito na força do nosso torcedor, que vai ao Morumbi para nos incentivar e nos ajudar, em busca da vitória”, encerrou.