Dorival Jr. vê Paulistão 2017 mais difícil dez anos após primeira final em SP

Técnico do Santos acredita que o fator principal para isso é o crescimento das equipes do interior e faz um alerta

Comentar
Compartilhar
08 FEV 2017Por Pedro Henrique Fonseca19h50

Dez anos após sua primeira final no Estado de São Paulo e em busca do tricampeonato com o Santos, o técnico Dorival Júnior garante que o Paulistão 2017 será o mais difícil dos últimos anos.

Ele acredita que o fator principal para isso é o crescimento das equipes do interior e faz um alerta. "Não tenho dúvidas que teremos um campeonato muito complicado. As equipes da capital terão que ter muitos cuidados porque, fatalmente, uma vaga na decisão pode vir do interior".

Em 2007, Dorival chegou à final com o São Caetano, considerado um dos azarões do torneio. Antes dos duelos contra o Santos, o time da Grande São Paulo eliminou o São Paulo, sendo que o segundo jogo terminou 4 a 1 para os comandados de Dorival Júnior.

"Eu acho que se equipara muito (ao Paulistão de 2007). Foi muito difícil, decidida em detalhes e acho que este ano vai manter esse perfil", relembra.

Na ocasião, o campeonato trazia o Palmeiras como atual campeão, o Santos, que terminou como vencedor e vice-campeão brasileiro no mesmo ano, e o São Paulo, eliminado pelo time de Dorival Júnior, atual campeão brasileiro e que terminaria como bicampeão daquele ano.

Santos goleador

Em visita ao Diário do Litoral, o treinador comentou também sobre o início da temporada do Santos. Em dois jogos oficiais, contra o Kénitra, do Marrocos e o Linense, na estreia do Paulistão, o Alvinegro Praiano marcou 11 gols.

Porém, se contarmos o amistoso realizado no CT Rei Pelé contra o Nacional (SP), o número de gols marcados sobre para 20 em três jogos. Até aqui o Santos venceu todos as partidas realizadas em 2017, sendo 9 a 1 contra o Nacional, 5 a 1 contra o Kénitra e 6 a 2 contra o Linense.

O treinador, por sua vez, alerta que é muito cedo para comemorar os números obtidos até então.

"É um numero importante, mas ainda é muito pouco. Estamos apenas no início de competição e precisamos melhorar muito ainda para que possamos atingir aquele bom momento de 2016. Em razão disso precisamos manter os pés no chão, continuar o trabalho para que melhores resultados aconteçam. É um número importante, mas ainda é muito pouco para aquilo que almejamos".