X
Esportes

Dorival é apresentado pelo SP e pede fim de 'entradas e saídas' no elenco

O técnico esteve ao lado do presidente Carlos Augusto de Barros e Silva e do diretor-executivo de futebol do clube, Vinicius Pinotti

Dorival é apresentado pelo São Paulo / Miguel Schincariol/Folhapress

Menos de 24 horas após ser derrotado por 3 a 2 pelo Santos e cair para a 19ª posição do Campeonato Brasileiro, o São Paulo apresentou seu "divisor de águas", como definiu a assessoria do clube antes da entrevista coletiva de Dorival Júnior. O técnico esteve ao lado do presidente Carlos Augusto de Barros e Silva e do diretor-executivo de futebol do clube, Vinicius Pinotti, e falou sobre o desafio de livrar a equipe da zona do rebaixamento.

"Eu vou procurar fazer meu melhor pelo São Paulo, confio no trabalho e no elenco. Esse momento inadequado é a maior preocupação de todos nós. Venho para cá porque confio, acima de tudo, no meu trabalho e no da minha comissão, vou procurar fazê-lo com muita intensidade e carinho. Que possamos estar fortalecidos para um momento como esse, preparados para uma condição que não é fácil. Temos que sentir o momento da equipe, acreditar e trabalhar com muita dignidade. A história do São Paulo tem um peso muito grande, é um dos clubes mais conceituados do Brasil e do mundo, tem que ter outra condição", avaliou o novo comandante são-paulino.

Dorival ainda elogiou o legado deixado por Rogério Ceni, seu antecessor, e falou em dar mais espaço às revelações de Cotia, que já formam quase um terço do elenco profissional: "Temos um bom elenco. Dentro do possível, das necessidades, do momento do mercado, pode e deve ser melhorado, mas temos que acreditar no que temos, cessar essas conversas de entradas e saídas. Isso quebra muito a confiança de um elenco. Observar também, e com carinho especial, o que temos em casa. O trabalho desenvolvido pelo Rogério era elogiável nesse sentido, buscando o que o São Paulo tem de melhor, produzindo grandes jogadores. Temos que dar atenção e ter consciência de que nossos problemas podem ser resolvidos aqui dentro, com o aparecimento de um garoto, de um atleta que melhore as condições da nossa equipe".

Perguntado sobre a indefinição das permanência de Rodrigo Caio, com proposta do Zenit, o técnico passou a palavra para Vinicius Pinotti, que tentou esclarecer o caso do zagueiro. "Nunca houve negociação pelo Rodrigo Caio, foi sinalizado que haveria o pagamento da multa rescisória, e não há negociação nesses casos. O São Paulo não tem intenção de negociar, mas todo contrato tem uma multa e se houver pagamento, depende do jogador", disse o diretor.

Já sobre Cueva, que também pode ser negociado e vem desagradando à diretoria pelo desempenho técnico e físico, Dorival aceitou se posicionar: "Não tenha dúvidas, é obrigação de todo treinador. Um profissional no São Paulo tem obrigação de se sentir motivado em todos os aspectos. A instituição tem que ser preservada e respeitada".

PRESIDENTE

Leco abriu a coletiva de imprensa com semblante sério e com breve pronunciamento. Primeiro, exaltou Dorival Júnior, mas logo passou a falar sobre o momento do clube, na penúltima colocação do Campeonato Brasileiro: "O São Paulo, infelizmente, se encontra em uma situação [...] de desconforto. Não faz parte da nossa grandeza e tradição. Não é a primeira vez, mas estamos vivendo, que é essa zona de rebaixamento e que imagino vamos sair com o Dorival. Ele não está no São Paulo por sua capacidade de tirar o time do rebaixamento, mas pelo seu reconhecido trabalho".

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Vem Aí

Guarujá sedia 5ª edição do Conexidades de 7 a 11 de junho

Evento ocorrerá das 7 às 19 horas e é uma realização da União dos Vereadores do Estado de São Paulo (Uvebs)

Novidade

Sabesp disponibiliza atendimento pelo WhatsApp para clientes residenciais

Aplicativo de mensagens recebe consultas sobre débitos, pedidos de segunda via da conta e registros de falta d'água, vazamentos ou qualidade da água

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software