X
Esportes

Diego Aguirre é o novo técnico do São Paulo

O treinador uruguaio já atuou como jogador no São Paulo, nos anos 90, e é visto pela diretoria tricolor como um nome apropriado para o momento do clube.

Torcedores e parte dos conselheiros do clube pediram a contratação de um técnico "medalhão". / Fotos Públicas/Divulgação/Internet

O São Paulo acertou neste domingo as bases salariais com o técnico Diego Aguirre. O contrato ainda não foi assinado, o que deverá ocorrer nesta tarde de domingo. O vínculo terá duração até o fim de dezembro.
O treinador uruguaio já atuou como jogador no São Paulo, nos anos 90, e é visto pela diretoria tricolor como um nome apropriado para o momento do clube.

O São Paulo enfrentará o Red Bull com André Jardine, que está interinamente no cargo para substituir Dorival Junior, demitido na semana passada. Aguirre irá ao Morumbi assistir à partida deste domingo.

Torcedores e parte dos conselheiros do clube pediram a contratação de um técnico "medalhão". Vanderlei Luxemburgo, Luiz Felipe Scolari e Cuca foram os nomes mais repetidos por quem queria mudança no comando tricolor. No caminho contrário dos pedidos, Raí, acompanhado por Ricardo Rocha e Lugano, descartou os veteranos por entender que eles não se adequam ao projeto que o trio desenha para o clube, elegendo Diego Aguirre.

Na visão dos integrantes do departamento de futebol tricolor, o São Paulo vive um momento instável emocionalmente e a chegada de um técnico com uma personalidade muito forte poderia deixar a situação ainda mais conturbada no Morumbi.

Para os dirigentes, era necessária uma pessoa mais equilibrada e comedida em suas ações para comandar o time. Também, segundo os tricolores, não é hora de um treinador que vá chamar mais a atenção do que o elenco.

Outro ponto destes três treinadores fora das características do projeto de construção de identidade do São Paulo criado por Raí é a montagem da comissão técnica. Os três, no caso, gostam de trabalhar com seus profissionais de confiança. O Tricolor espera refazer o esquema anterior à passagem de Rogério Ceni, no ano passado. A ideia é de que o clube tenha uma comissão permanente, com o auxiliar André Jardine sendo preparado para um dia assumir o comando.

Por fim, no caso de Luxemburgo há também uma incompatibilidade com o perfil de Raí. De acordo com pessoas próximas ao dirigente, é bastante improvável ver um dia os dois trabalharem no mesmo clube. O presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, também não é um grande fã do estilo do treinador.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

São Vicente

Fundo Social promove primeiro Dia de Doar do ano nesta sexta (28)

Munícipes devem retirar as peças na sede da FSS de São Vicente

São Vicente

Justiça suspende venda do Golf Clube vicentino a pedido do MP

Juiz suspendeu assembleia do patrimônio tombado que aguardava apenas decreto regularizando decisão de Conselho

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software