Defesa é vazada pelo 10º jogo seguido e vira enxaqueca para Ceni

Foi o décimo jogo consecutivo em que o time sofreu gols, sendo 21 em 12 jogos oficiais na atual temporada

Comentar
Compartilhar
16 MAR 2017Por Gazeta Press14h30
Rogério Ceni tem tido muita dor de cabeça com as falhas da defesa tricolorFoto: Djalma Vassão/Gazeta Press

O São Paulo continua assombrado por velhos problemas. Apesar de ter garantido a vaga na quarta fase da Copa do Brasil, o Tricolor voltou a cometer erros defensivos no empate por 1 a 1 com o ABC, na última quarta-feira, em Natal. Foi o décimo jogo consecutivo em que o time sofreu gols, sendo 21 em 12 jogos oficiais na atual temporada.

A última vez em que a defesa do São Paulo passou incólume pelos 90 minutos foi em 9 de fevereiro, na vitória por 1 a 0 sobre o Moto Club, no Maranhão, pela estreia na Copa do Brasil. Desde então, sem contar com o jogo da noite passada, o Tricolor foi vazado nas vitórias sobre Ponte Preta (5 a 2), Santos (3 a 1), São Bento (3 a 2), PSTC-PR (4 a 2), Santo André (4 a 1) e ABC (3 a 1), nos empates com Mirassol e Novorizontino (2 a 2), e na derrota para o Palmeiras (3 a 0).

Além disso, o gol sofrido diante dos potiguares foi o quinto oriundo de bola parada no ano, sendo o sétimo de cabeça. Inclusive, o lance em Natal lembrou muito ao da semana passada, na vitória são-paulina por 3 a 1, no Morumbi, onde o mesmo Márcio Passos venceu no alto para testar firme, sem chances para Denis.

A defesa do time do Morumbi, a pior do Campeonato Paulista, com 17 gols sofridos, está tirando a paciência do técnico Rogério Ceni, que após o duelo com o ABC ironizou ao cogitar que não treinará mais bola aérea.

Para piorar, o comandante são-paulino terá dor de cabeça na montagem do miolo de zaga para os próximos compromissos. Rodrigo Caio deixou o duelo com o ABC com um entorse no joelho esquerdo e pode parar por até um mês, enquanto Maicon está em fase final de recuperação de lesão no tornozelo e ainda não tem data definida para retornar.

Já Douglas e Breno não inspiram confiança na torcida. Ainda menos Lucão, muito criticado pelas atuações do ano passado. Já Lyanco, que agradou em Natal, será inscrito no Paulistão somente no mata-mata, em abril.

Até lá, Rogério Ceni terá de encontrar soluções e continuar trabalhando para arrumar o sistema defensivo tricolor. Enquanto isso, buscará acabar com essa sequência de gols sofridos neste sábado, quando o São Paulo recebe o Ituano, às 16 horas (de Brasília), no Morumbi, pelo Estadual.