Corinthians perde fôlego na altitude e cede empate ao San José

Estreante em Libertadores, o centroavante Paolo Guerrero anotou o gol corintiano logo aos cinco minutos do primeiro tempo

Comentar
Compartilhar
21 FEV 201300h04

Campeão invicto da última Copa Libertadores da América, o Corinthians não perdeu em sua estreia na edição de 2013 do torneio. Mas também não venceu. Na noite desta quarta-feira, a equipe brasileira ficou no empate por 1 a 1 com o boliviano San José, na altitude de mais de 3.700 metros de Oruro.

Estreante em Libertadores, o centroavante Paolo Guerrero anotou o gol corintiano logo aos cinco minutos do primeiro tempo. O Corinthians não conseguiu manter a pressão inicial e cedeu espaço para o San José atacar. Aos 15 da etapa complementar, Saucedo empatou. Nem a entrada de Alexandre Pato alterou novamente o placar.

De qualquer forma, o Corinthians já ostenta o segundo maior período de invencibilidade em Libertadores. São 15 jogos, igualando a marca do colombiano América de Cali. O recordista é o Sporting Cristal, do Peru, que passou 17 partidas sem perder nas edições de 1962, 1968 e 1969.

História à parte, Corinthians e San José somam 1 ponto cada no grupo 5 da Libertadores. O líder é o mexicano Tijuana, que venceu o Millonarios por 1 a 0 na Colômbia. Na próxima quarta-feira, os corintianos enfrentarão os colombianos no Pacaembu.

Pelo Campeonato Paulista, o Corinthians voltará a campo já neste domingo. O adversário será o Bragantino, em Bragança Paulista.

O Corinthians de Guerrero somou 1 ponto no grupo 5 da Libertadores (Foto: Juan Karita/Estadão Conteúdo)

O jogo

O Corinthians não deu tempo para o San José respirar. A equipe comandada por Tite não poupou energias na altitude de Oruro nos primeiros minutos de partida. Pressionou o time boliviano até conseguir abrir o marcador.

Aos cinco minutos, Fábio Santos foi acionado por Ralf na esquerda e cruzou de primeira. A bola passou por Emerson, mas não por Guerrero. O centroavante peruano emendou para a rede para manter a fama de artilheiro em sua estreia em Copas Libertadores.

O gol foi o oxigênio que o Corinthians precisava para ter tranquilidade no restante do primeiro tempo. Durante alguns minutos, a equipe brasileira ainda continuou no campo de ataque. Paulinho, aos oito, aproveitou uma jogada de Jorge Henrique para aparecer como elemento surpresa. Parou na boa defesa do goleiro Lampe.

Conforme esperado, o Corinthians não pressionou o tempo inteiro na altitude. O time de Tite passou a administrar mais a posse de bola e a diminuir o ritmo da partida. O San José, por sua vez, tentou ganhar espaço para fazer as suas primeiras investidas no jogo.

Com pouca criatividade, os bolivianos apostavam nos chutes de longa distância para surpreender o Corinthians. O atacante Saucedo era quem mais insistia. O goleiro Cássio, no entanto, mostrava-se recuperado da falha no clássico contra o Palmeiras com boas defesas.

No início do segundo tempo, o San José se tornou mais perigoso. Enquanto a torcida boliviana arremessava objetos nos reservas do Corinthians, que realizavam aquecimento, a equipe da casa bombardeava Cássio. O goleiro seguia seguro.

Como o San José ainda parecia distante do gol, o técnico Marcos Ferrufino decidiu substituir Dury por García. Tite também foi obrigado a mexer no Corinthians. Machucado, Jorge Henrique cedeu lugar para Renato Augusto.

A alteração do San José surtiu efeito. Aos 15 minutos, em jogada muito parecida com o gol do Corinthians, García deu moral ao seu treinador a fazer um bom cruzamento da esquerda. Saucedo surgiu para completar para dentro.

O empate obrigou o Corinthians a voltar ao ataque com mais intensidade. Em menos de dois minutos, Emerson desperdiçou duas chances de gol. Aos 20, o Sheik ficou livre de marcação após cruzamento rasteiro de Fábio Santos e chutou na trave. Abatido, ele recebeu nova assistência em seguida e bateu por cima do gol.

Os lances foram os derradeiros de Emerson na Bolívia. Aos 25, Tite decidiu mandar o astro Alexandre Pato a campo na vaga do Sheik. Pouco depois, teve de trocar também o zagueiro Paulo André pelo jovem Felipe.

O Corinthians até se lançou moderadamente ao ataque na parte final da partida. Só não tinha muito fôlego para chegar ao gol da vitória. Ao San José, faltava técnica. Ao menos os corintianos iniciaram a Libertadores de 2013 com o mesmo placar da estreia de 2012, contra o venezuelano Deportivo Táchira: 1 a 1.