Corinthians joga mal mesmo após descanso e perde para o Guaraní

O jogo de volta será já na próxima quarta-feira, em Itaquera, onde o Corinthians terá a necessidade de ganhar por três gols de diferença

Comentar
Compartilhar
06 MAI 201521h50

Tite costuma dizer que prioriza o rendimento do Corinthians ao resultado positivo. Na noite desta quarta-feira, o técnico não teve um motivo nem outro para comemorar. Jogando mal mesmo após mais de dez dias de preparação, a sua equipe perdeu por 2 a 0 para o Guaraní no Defensores del Chaco e ficou em situação complicada nas oitavas de final da Copa Libertadores da América.

Os dois gols foram marcados no segundo tempo. No primeiro deles, Santander cobrou uma falta por baixo da barreira, e o goleiro Cássio falhou feio ao deixar a bola passar. O outro foi de Contrera, mais um a ganhar do zagueiro Felipe na corrida, com um chute cruzado certeiro.

O jogo de volta será já na próxima quarta-feira, em Itaquera, onde o Corinthians terá a necessidade de ganhar por três gols de diferença para se classificar sem a necessidade da disputa por pênaltis. Antes de rever o Guaraní, o time de Tite estreará no Campeonato Brasileiro contra o atual campeão Cruzeiro, no domingo, na Arena Pantanal.

O Corinthians perdeu no Paraguai (Foto: Associated Press)

O jogo

Após passar as duas últimas semanas treinando, o Corinthians parecia desacostumado à competitividade característica das partidas oficiais. Entrou em campo em ritmo lento, assim como o Guaraní. O público também não ajudava – havia poucos torcedores no Defensores del Chaco.

Quem foi ao estádio acompanhou um início de jogo sonolento, com muitos passes errados dos dois lados. O Corinthians até mantinha a bola no pé, mas sem criatividade para se aproximar do gol defendido por Aguilar. Para combater o mesmo problema, o Guaraní investiu em alguns chutes de longa distância, que não assustaram o goleiro Cássio.

Aposta de Tite para o lugar do suspenso Emerson, Luciano tentou se encarregar de puxar o Corinthians para a frente, com velocidade, na medida em que os seguidos lançamentos de Renato Augusto não surtiam efeito. Outra novidade na formação visitante, Paolo Guerrero, abalado ou não pela dengue recente, aparentava ser o mesmo de antes somente na hora de reclamar. O peruano finalizava muito mal.

Com Tite preocupado à beira do campo, o Guaraní se soltou na metade final do primeiro tempo – àquela altura, Contrera já havia substituído o lesionado Filippini. Aos 40 minutos, os paraguaios tiveram a sua melhor chance para abrir o placar. Benítez avançou nas costas de Luciano pela esquerda e ficou livre de marcação na área corintiana. A conclusão rasteira passou por Cássio, mas não por Gil, que esticou o pé para afastar.

Luciano se machucou no lance de perigo do Guaraní e ameaçou não voltar para o segundo tempo. “É melhor sair do que prejudicar o time”, avisou o atacante, enquanto os seus companheiros desciam rapidamente para o vestiário, na expectativa de corrigir os erros apresentados na etapa inicial.

Logo nos primeiros minutos do segundo tempo, o Guaraní deu mostras de que o Corinthians precisaria de mais tempo de conversa para se reorganizar em campo. Benítez incomodou Cássio com mais uma batida de longe, defendida pelo goleiro. Em seguida, Santander cabeceou por cima da meta depois de cruzamento da direita.

Não demorou para o Corinthians ser vazado. Aos 14, Santander cobrou uma falta despretensiosa por baixo da barreira. Cássio caiu no canto para fazer a defesa, porém soltou a bola, que cruzou a linha para dar a vantagem no marcador ao Guaraní.

O gol pareceu desestabilizar também o técnico Tite. Pensativo à beira do campo, com a mão no queixo, ele desistiu de substituir Luciano por Malcom, como pretendia fazer. Esperou alguns minutos e trocou o atacante pelo veterano meio-campista Danilo.

O Corinthians já havia melhorado pouco antes da alteração. Aos 26 minutos, foi ainda mais perigoso quando Fábio Santos ficou com uma sobra de bola em chute de Ralf e concluiu cruzado. No pé da trave.

Tite não se satisfez com a evolução de sua equipe. Trocou Ralf e Jadson por Bruno Henrique e Elias. Não adiantou. Aos 36 minutos, Contrera partiu com rapidez em contra-ataque do Guaraní, foi mais um a deixar o zagueiro Felipe para trás pela direita e finalizou cruzado, no canto, para complicar de vez o Corinthians na Libertadores.