Conmebol ameaça vetar Morumbi em estreia tricolor na Libertadores

O São Paulo tem até as 18 horas da quarta-feira (23), dia do jogo, para apresentar provas em sua defesa relativas à confusão na final da Sul-americana.

Comentar
Compartilhar
21 JAN 201315h26

O São Paulo ganhou um problema de última hora para a partida contra o Bolívar, jogo que marcará a estreia da equipe na pré-Libertadores. A Conmebol informou nesta segunda (21) que o clube do Morumbi tem até as 18 horas (de Brasília) da próxima quarta – dia do confronto com os bolivianos - para apresentar provas em defesa própria relativas à confusão da final da Sul-americana contra o Tigre, no dia 12 de dezembro.

Caso as evidências a favor do São Paulo não sejam enviadas à confederação, a entidade máxima do futebol continental pode vetar a utilização do Morumbi, obrigando o Tricolor a atuar contra o Bolívar fora de casa.

No último sábado, o conselheiro são-paulino Carlos Miguel Aidar, um dos principais aliados do presidente Juvenal Juvêncio, já havia revelado com exclusividade à GazetaEsportiva.Net a suspensão provisória do Morumbi. No entanto, na ocasião, Aidar afirmou que não acreditava em uma suspensão do estádio para esta quarta-feira, pelo fato de os ingressos para o jogo já estarem à venda.

A reportagem da GE.Net tentou contato com o diretor jurídico tricolor, Kalil Rocha Abdala, para obter informações das próximas medidas a serem tomadas pelo clube, mas não teve sucesso.

Por conta da confusão no jogo da final da Sul-americana, o São Paulo pode perder o direito de jogar a Libertadores no Morumbi. (Foto: Divulgação)

Entenda o caso 

A confusão com o Tigre aconteceu no Morumbi e teve início logo após o final do primeiro tempo do jogo de volta da final. Na saída para o vestiário, os jogadores argentinos discutiram intensamente com os atletas do São Paulo, sendo necessária a intervenção de seguranças para separar as equipes.

Depois do intervalo, o time de Buenos Aires se recusou a voltar a campo, alegando ter sido agredido por policiais e ameaçado com armas de fogo pelos seguranças do estádio. A ausência dos atletas da equipe portenha no segundo tempo acabou dando o título da competição ao São Paulo, que vencia por 2 a 0 até ali.