X

Esportes

Com gol polêmico no fim, Santos bate Red Bull Brasil e segue líder

Com o triunfo, o Santos retoma a liderança do grupo D do Paulistão, com seis pontos

Gazeta Press

Publicado em 12/02/2017 às 13:18

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Vitor Bueno abriu o marcador para o Santos / Divulgação/Santos FC

O Santos segue na ponta do grupo D do Campeonato Paulista. Em jogo movimentado e recheado de polêmicas, o Peixe bateu o Red Bull Brasil por 3 a 2, na manhã deste domingo, no Pacaembu, em duelo válido pela segunda rodada do torneio estadual.

Com o triunfo, o Santos retoma a liderança do grupo D do Paulistão, com seis pontos. O Peixe havia caído para segundo após o Mirassol bater a Ferroviária, no último sábado. Já o Red Bull Brasil, por sua vez, estacionou na segunda colocação do grupo B, com apenas um ponto em três jogos, e pode ser ultrapassado pelo São Paulo, que encara a Ponte Preta, neste domingo, às 17h (de Brasília), no Morumbi.

Na terceira rodada, os comandados de Dorival Júnior fazem o clássico contra o Tricolor Paulista, na próxima quarta-feira, às 21h45, na Vila Belmiro. Como teve o seu jogo diante do Santo André adiantado, o Red Bull só volta a campo no próximo sábado, quando pega a Macaca, no Moisés Lucarelli, em Campinas.

Lucas Lima inspirado e vantagem no placar

Apesar do forte calor de 30ºC em São Paulo, a partida começou bem morna no Pacaembu. O Santos começou tocando com tranquilidade, enquanto o Red Bull Brasil adiantou a marcação, pressionando a saída de bola santista. Porém, nenhuma oportunidade clara foi criada no começo do duelo.

Até que aos 15 minutos, o zagueiro Lucas Veríssimo mostrou persistência, recuperou uma jogada perdida e tocou para Lucas Lima. Aceso no jogo, o camisa 10 apenas rolou para Victor Ferraz. O lateral, por sua vez, acertou um belo cruzamento para Vitor Bueno vencer o goleiro Saulo e fazer 1 a 0 no Pacaembu. Na comemoração, os santistas ensaiaram uma ‘dancinha’, relembrando os bons tempos de 2010, com a equipe liderada por Neymar e Ganso.

O tento animou o time do Peixe. Comandado pelo inspirado Lucas Lima, o alvinegro seguiu em cima do Toro Loko e quase ampliou o marcador aos 25 minutos. O camisa 10 entortou toda a defesa adversária e cruzou para Copete. O colombiano desviou para o meio da pequena área e Rodrigão, sem goleiro, errou a cabeçada e mandou pra fora.

E como o futebol não tolera desaforo, o castigo veio na jogada seguinte. Nando Caradina desarmou Lucas Lima de forma limpa e acertou um lindo lançamento de três dedos para Misael. O atacante arrancou entre os dois zagueiros do Santos e bateu firme para deixar tudo igual no Pacaembu.

O Santos sentiu o empate e o Red Bull cresceu no jogo. Ainda apostando nas roubadas de bola e nos contra-ataques rápidos, a equipe comandada por Alberto Valentim quase alcançou a virada aos 40 minutos. Em nova saída em velocidade, Misael apareceu de novo e obrigou Vladimir a fazer bela defesa, salvando o alvinegro.

E do mesmo jeito que o futebol foi traiçoeiro com Rodrigão após a inacreditável chance desperdiçada, o atacante recebeu dos pés de Lucas Lima a chance de se redimir antes do intervalo. Desta vez, ele não desperdiçou. O meia acertou lindo passe para o centroavante, que tocou na saída de Saulo e colocou o Peixe novamente em vantagem.

Estreias, gol polêmico e vitória do Peixe

Ao contrário da etapa inicial, o segundo tempo fez jus ao forte calor e começou quente no Pacaembu. Com as duas equipes buscando o ataque, a partida ficou aberta e cheia de alternativas. A primeira oportunidade clara surgiu com o Red Bull Brasil. Logo aos 10 minutos, Elton apareceu livre no meio da zaga santista e soltou uma bomba na trave, assustando o goleiro Vladimir.

Logo depois, o técnico Dorival Júnior tirou Leandro Donizete, que fez sua estreia com o a camisa do Santos, e promoveu a entrada de Léo Cittadini. A mudança não alterou o estilo de jogo das duas equipes e a partida seguiu movimentada no Pacaembu.

Aos 24 minutos, Thallyson apareceu na entrada da área e soltou a bomba no gol de Vladimir. A bola desviou em Lucas Veríssimo e saiu em escanteio. O Santos, por sua vez, respondeu no lance seguinte. Victor Ferraz avançou pela direita e cruzou rasteiro. Rodrigão e Copete furaram e Lucas Lima apareceu sozinho na área. O camisa 10 dominou, mas chutou em cima do goleiro Saulo.

Após a sequência de chances desperdiçadas, o técnico Dorival Júnior promoveu mais uma estreia no Peixe. Sentindo os efeitos do forte calor, Rodrigão foi substituído por Bruno Henrique. Na saída do gramado, o centroavante, que tem três jogos no Paulistão, foi aplaudido pela torcida santista.

Com o jogo bem aberto, era questão de tempo para sair um gol no Pacaembu. Ele aconteceu, mas foi para o Red Bull. Aos 36 minutos, Nixon, que havia acabado de entrar, aproveitou cobrança de falta de Denner e tocou de cabeça para vencer Vladimir. O jogador estava impedido no lance, mas a arbitragem validou o tento.

Logo após levar o empate, Dorival colocou sacou Vitor Bueno para promover a entrada de Kayke. O reforço, que fez sua estreia com a camisa do Peixe foi decisivo e acabou sendo o autor da maior polêmica do jogo.

Aos 47 minutos do segundo tempo, o zagueiro Lucas Veríssimo desviou cruzamento do meia Lucas Lima. A bola acabou sobrando para Victor Ferraz. O lateral-direito tocou para dentro da pequena área e Kayke apareceu sozinho. O atacante desviou com o braço e Saulo chegou a defender antes da redonda cruzar a linha. Arbitragem, porém, validou o tento, decretando a vitória santista.

FICHA TÉCNICA:
RED BULL BRASIL 2 X 3 SANTOS

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 12 de fevereiro de 2017, domingo
Horário: 11h (de Brasília)
Árbitro: Rafael Gomes da Silva
Assistentes: Danilo Ricardo Simon e Fabricio Porfirio de Moura
Cartões amarelos: RED BULL: Fillipe Soutto. SANTOS: Yuri, Copete e Lucas Veríssimo.

GOLS:
RED BULL: Misael, aos 28 minutos do primeiro tempo, e Nixon, aos 36 do segundo tempo.
SANTOS: Vitor Bueno, aos 15, e Rodrigão, aos 48 minutos do primeiro tempo; Kayke, aos 47 do segundo tempo.

RED BULL BRASIL: Saulo; Bruno Ferreira (Lucas Taylor), Willian Magrão, Luan Peres e Thallyson; Alison (Denner), Fillipe Soutto, Elvis (Nixon) e Nando Carandina; Misael e Elton.
Técnico: Alberto Valentim.

SANTOS: Vladimir; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Yuri e Zeca; Leandro Donizete (Léo Cittadini), Thiago Maia e Lucas Lima; Vitor Bueno (Kayke), Copete e Rodrigão (Bruno Henrique).
Técnico: Dorival Júnior.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Oportunidade

Praia Grande oferece 50 vagas gratuitas para oficina de fotografia

Inscrições começam na próxima segunda (22), no Palácio das Artes

Guarujá

Teatro Procópio Ferreira tem apresentações gratuitas na quinta (25)

Para complementar e fortalecer a mensagem passada na peça, será entregue um livro com a história encenada e outras atividades

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software