Com a cabeça no Timão, Rodriguinho decide classificação contra a Caldense

Com o resultado, o Alvinegro confirma o bom retrospecto em primeiras fases da competição, avançando sem grandes sustos

Comentar
Compartilhar
08 FEV 2017Por Gazeta Press23h55
Rodriguinho garantiu a classificação corintianaFoto: Fernando Dantas/Gazeta Press

Rodriguinho foi pivô de uma polêmica no Corinthians ao pedir para ser negociado com o futebol europeu antes do encerramento das janelas, mas acabou mantido no clube pelo presidente Roberto de Andrade, dando início a rumores sobre sua vontade em atuar novamente pelo Timão. No que depender da atuação desta quarta-feira, contra a Caldense, porém, não há do que a Fiel reclamar: melhor em campo, fez o único gol da vitória por 1 a 0 e assegurou a classificação da equipe no perigoso primeiro mata da temporada pela Copa do Brasil.

Com o resultado, o Alvinegro confirma o bom retrospecto em primeiras fases da competição, avançando sem grandes sustos. O time paulistano agora espera o vencedor do confronto entre Brusque e Remo, quinta-feira, 16 de fevereiro, às 19h15 (de Brasília), em Santa Catarina, para saber quem será seu adversário na sequência da competição.

Na sequência da temporada, o Timão volta suas atenções ao Paulistão, torneio pelo qual encara o Santo André, no sábado, às 21h (de Brasília), no primeiro jogo oficial da equipe no estádio de Itaquera. O time de Poços de Caldas, por sua vez, terá pela frente o América-MG, novamente no estádio Ronaldão, às 19h30 do domingo, pelo Campeonato Mineiro.

Empolgação local e gol do maestro

O primeiro tempo da partida empolgaria o torcedor local até mesmo se nem um passe fosse acertado dentro de campo, tamanha era a animação com a presença do Corinthians na cidade. Entusiasmados, os aficionados empurraram a Caldense para uma pressão local, mas foram frustrados pela dificuldade dos anfitriões em manter a posse de bola. Mais seguro, apesar de também não encantar, o Corinthians permaneceu a maior parte do tempo com a redonda e controlou as ações.

Ainda se adaptando ao esquema que deseja Carille, os corintianos abusaram das bolas esticadas para Marlone, que ganhou todas do fraco lateral Alexandre Lazarini. Mesmo com o camisa 8 se destacando, porém, faltou ao Timão maior presença da área, já que Jô era acompanhado de perto. Aos 21, Fellipe Bastos ganhou a jogada e foi derrubado, mas o juiz não marcou a penalidade. O melhor lance veio logo depois, com Gabriel aparecendo na área e carimbando a trave direita. No rebote, Marlone mandou nas mãos de Neguett.

Aos 40 minutos, enfim o Timão conseguiu acalmar suas jogadas de ataque e chegar ao gol. Após lateral cobrado pela direita, Jô dominou dentro da área e conseguiu proteger por um bom tempo até Fagner aparecer em boa condição dentro da área. Com precisão, o lateral direito cruzou na pequena área, onde Rodriguinho apareceu livre para testar e vencer o goleiro Neguett. O armador vibrou muito, como se desse uma resposta para quem duvidou sobre a vontade do armador em jogar pelo clube após ter negada a sua transferência para o Fenerbahce-TUR.

Depois do tento, com a torcida mais se preocupando em expulsar um torcedor corintiano da área destinada à Caldense, o jogo diminuiu o ritmo e ficou mais tranquilo para os alvinegros. Até o intervalo, os visitantes ainda tiveram uma boa oportunidade em cruzamento da direita de Giovanni Augusto para Jô, mas o centroavante chegou atrasado e viu o lateral direito Alexandre afastar para escanteio.

Domínio e tranquilidade para o Alvinegro

O segundo tempo começou da mesma maneira que terminou o primeiro: com Rodriguinho ditando o ritmo da partida. Logo na primeira vez em que recebeu a bola, o meia deu belo giro sobre a marcação de Hélio e partiu em velocidade no campo de ataque. Jô correu livre por trás da zaga, mas ele preferiu cortar Marcelo e acabou recebendo a falta bem próximo da área. Na cobrança, Fellipe Bastos encobriu a barreira e mandou rente à trave direita.

Diante de uma torcida já não tão animada quanto nos 45 minutos iniciais, o Corinthians encontrou mais facilidade para criar as jogadas. Conseguindo manter a posse de bola no mesmo nível que atingiu na outra metade, o Timão viu as chances saírem dos pés de seu armador. O problema foi que, apesar de em bom momento, Rodriguinho abusou da individualidade e não conseguiu deixar seus companheiros na cara do gol, sempre finalizando as jogadas.

Na melhor delas, aos 22 minutos, recebeu na entrada da área após boa troca de passes do ataque e arriscou de perna esquerda, mas parou em travada de Marcelo. Cinco minutos depois, recebeu na esquerda do ataque após jogada de Marlone e bateu com a perna esquerda, exigindo boa defesa de Neguett. O goleiro chegou a dar rebote, mas conseguiu se recuperar antes da chegada de Jô.

Depois disso, abusando da individualidade, o ataque corintiano teve inúmeras chances de clarear as jogadas, principalmente com os substitutos Marquinhos Gabriel, Camacho e Guilherme. Sempre apelando para o drible, no entanto, o Timão ficou somente no 1 a 0.