Clube da quarta divisão é punido após racismo contra Boateng

Pro Patria vai ter que jogar sua próxima partida oficial com os portões fechados.

Comentar
Compartilhar
08 JAN 201317h59

Apesar de ter acontecido em um amistoso, a postura racista da torcida do Pro Patria contra o meia Kevin-Prince Boateng, do Milan, na semana passada, rendeu punição ao time da quarta divisão italiana. O clube do norte de Milão vai ter que jogar sua próxima partida oficial com os portões fechados.

A decisão da Lega Pro, liga que organiza a terceira e a quarta divisões do Campeonato Italiano, foi anunciada neste terça-feira Durante a temporada, o Pro Patria também já havia sido multado em 5 mil euros por conta de atitudes racistas de seus torcedores

Também nesta terça-feira, o Sindicato dos Jogadores aprovou o protesto de Boateng. Líder da entidade, o holandês Theo Van Seggelen afirmou que ficou "orgulhoso" da atitude do jogador do Milan, que é de origem ganesa. "Estamos muito orgulhosos disso. Os jogadores disseram: 'Basta!'. Acho que o que aconteceu com o Milan foi único e um bom sinal."

Na quinta-feira passada, durante o amistoso entre Milan e o Pro Patria, Boateng, cansado das ofensas racistas vindas de parte da torcida do time da casa, pegou a bola com as mãos e chutou em direção às arquibancadas. Depois, tirou a camisa e se dirigiu aos vestiários, acompanhado dos seus companheiros. A maior parte da torcida, porém, aplaudiu sua atitude, enquanto as câmeras filmavam os agressores parecendo constrangidos.

Na quinta-feira passada, durante o amistoso entre Milan e o Pro Patria, Boateng, cansado das ofensas racistas vindas de parte da torcida do time da casa. (Foto: Divulgação)