X
Esportes

Cícero deixa “conforto do Rio” para ajudar o São Paulo a quebrar jejum

O diretor de futebol do clube, José Jacobson Neto, que já considera o meio-campista “o nosso novo titular”

Cícero recebeu a camisa 8 do diretor José Jacobson Neto / SPFC/Divulgação

Último dos quatro reforços do São Paulo para a temporada 2017 a ser apresentado, Cícero recebeu nesta segunda-feira a camisa 8 das mãos do diretor de futebol do clube, José Jacobson Neto, que já considera o meio-campista “o nosso novo titular”. Com 32 anos, o jogador deixou “o conforto do Rio”, onde atuou pelo Fluminense entre 2014 e 2016, para ajudar o clube paulista a voltar a conquistar títulos, o que não acontece desde a Copa Sul-Americana de 2012, quando fez parte do último Tricolor campeão.

“Venho para cá muito motivado. Saí do conforto do Rio de Janeiro, minha esposa é de lá. Mas jogador de futebol não pode viver na zona de conforto. Tenho um desafio na minha vida de a cada ano ganhar pelo menos um título. Esse é o pensamento”, afirmou, em entrevista coletiva concedida em Bradenton, onde o elenco realiza pré-temporada.

Esta será a segunda passagem de Cícero pelo São Paulo. Somando-se os anos de 2011 e 2012, ele marcou 16 gols em 92 partidas. Sua expectativa de voltar a trabalhar com Rogério Ceni, agora técnico, é a melhor possível. O meio-campista vislumbra terminar 2017 comemorando títulos ao lado do ex-goleiro.

Último dos quatro reforços do São Paulo para a temporada 2017 a ser apresentado, Cícero recebeu nesta segunda-feira a camisa 8 das mãos do diretor de futebol do clube, José Jacobson Neto, que já considera o meio-campista “o nosso novo titular”. Com 32 anos, o jogador deixou “o conforto do Rio”, onde atuou pelo Fluminense entre 2014 e 2016, para ajudar o clube paulista a voltar a conquistar títulos, o que não acontece desde a Copa Sul-Americana de 2012, quando fez parte do último Tricolor campeão.

“Venho para cá muito motivado. Saí do conforto do Rio de Janeiro, minha esposa é de lá. Mas jogador de futebol não pode viver na zona de conforto. Tenho um desafio na minha vida de a cada ano ganhar pelo menos um título. Esse é o pensamento”, afirmou, em entrevista coletiva concedida em Bradenton, onde o elenco realiza pré-temporada.

Esta será a segunda passagem de Cícero pelo São Paulo. Somando-se os anos de 2011 e 2012, ele marcou 16 gols em 92 partidas. Sua expectativa de voltar a trabalhar com Rogério Ceni, agora técnico, é a melhor possível. O meio-campista vislumbra terminar 2017 comemorando títulos ao lado do ex-goleiro.

“Vou ser sincero: estou muito feliz com esse novo desafio dele. É um cara vitorioso, e por que não ser vitorioso como treinador também? Imagina no fim do ano todos se abraçando com títulos? É uma satisfação enorme. Vai juntar o útil ao agradável”, projetou.

Considerado peça fundamental no time dirigido por Ney Franco – que não tinha boa relação com Ceni – em 2012, Cícero voltou a falar em desafio para explicar por que trocou o São Paulo pelo Santos no início de 2013.

“Na época, saí por questões contratuais. Pessoas de dentro do São Paulo falavam para eu não sair, houve interesse de outro clube. Jogador pensa em desafios e não pode viver na zona de conforto. Saí para algo melhor para mim individualmente, e retorno agora muito feliz”, garantiu o atleta, considerando boa sua primeira passagem pelo Morumbi.

“Não foi por questão de rendimento. Se não me engano fiz 16 gols em 92 partidas. Nas ruas, até em outros clubes, o torcedor mostrava carinho, dizia que eu fui injustiçado. Agora é outro momento. Passaram cinco anos e muda muita coisa na vida”, concluiu.

Cícero foi o quarto reforço do São Paulo para 2017 a ser apresentando. Antes, Wellington Nem, Neilton e Sidão haviam concedido entrevista. O meio-campista se juntou ao elenco no dia 8, nos Estados Unidos, onde passava férias. Ainda recuperando a melhor forma física, ele teve alguns minutos na vitória por 9 a 2 sobre o Boca Ratón no jogo-treino do último domingo.

O novo camisa 8 do São Paulo pode reestrear com a camisa tricolor nesta quinta-feira, quando a equipe enfrenta o River Plate, da Argentina, às 22 horas (de Brasília), pelas semifinais da Copa Flórida. O duelo será realizado em St. Petersbourgh.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Praia Grande

Mulher morre após se afogar no mar em Praia Grande

Ela estava junto do companheiro, que também se afogou. Ambos foram resgatados, mas a jovem não resistiu

Saúde

Mitos e verdades sobre os benefícios do sexo para a saúde da pele e dos cabelos

Especialistas explicam os reais efeitos da prática sexual na aparência e por que isso acontece

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software