Charles "apaga" Santos, chama Verdão de Cruzeiro e se diz guerreiro

Jogador deixou uma má imagem em sua primeira passagem pelo futebol paulista, em 2011, quando pouco atuou pelo Santos Futebol Clube.

Comentar
Compartilhar
06 FEV 201315h23

Destaque do Cruzeiro até o segundo semestre de 2008, quando foi negociado com o Lokomotiv Moscou, da Rússia, Charles deixou uma má imagem em sua primeira passagem pelo futebol paulista, quando pouco entrou em campo pelo Santos em 2011. Na tentativa de deixar de lado o que aconteceu há dois anos, acabou confundindo o Palmeiras com seu último clube, exatamente o Cruzeiro, que o revelou.

“Cheguei ao Santos machucado, minha recuperação foi muito lenta e sofria muita pressão para voltar. Aí acabava doendo e eu voltava para o departamento médico. Não foi um negócio legal. Apago tudo que aconteceu no Santos. Agora é vida nova no Cruzeiro... Opa, Palmeiras”, declarou em sua primeira entrevista coletiva pelo Verdão, logo passando seguidamente a mão na testa para mostrar o desconforto pelo equívoco.

Se houve erro nas palavras, com os pés o volante quer provar ter condição de ficar marcado positivamente. “Estamos aqui para honrar a camisa do Palmeiras da melhor maneira possível. Ficamos marcados em um clube por conquistas, e vim para isso. A torcida pode esperar um Charles guerreiro em campo”, definiu, prevendo que estreará neste domingo, diante do Mogi Mirim.

Volante que mal jogou no Santos em 2011 chamou o Palmeiras de Cruzeiro, seu último clube (Foto: Sergio Barzaghi/ Gazeta Press)

Envolvido na troca por Luan, Charles está emprestado até dezembro, ciente de que precisa mostrar ainda ser capaz de jogar como há cinco anos. “Faz um tempo que não atuo legal. Sei que não fui legal no Santos e no ano passado no Cruzeiro, mas agora estou em um projeto novo. Quero vestir esta camisa, dar a volta por cima e voltar mostrar o futebol da minha primeira passagem pelo Cruzeiro”, disse o volante de 27 anos.

O jogador até se compara ao Verdão, que acaba de ser rebaixado no Brasileiro e também precisa se reerguer. “O clube passa por um momento difícil, mas só quem pode mudar é a gente. É trabalhar e colocar em prática nos jogos o que trabalhamos nos treinos. Não tem mistério”, simplificou.

“O Palmeiras não merece estar nesta situação. É muito grande, tem muita tradição. E não preciso nem fazer comentários sobre a torcida. Sempre que joguei contra comentava que a torcida do Palmeiras faz a diferença”, discursou Charles.