César Maluco vê Kardec melhor que Fred e pede contratação definitiva

Independentemente dos números que envolvem a negociação, o ex-jogador faz uma série de elogios e cobra a aquisição imediata do atacante, que é o artilheiro do time na temporada

Comentar
Compartilhar
19 MAR 201413h59

O segundo maior artilheiro da história do Palmeiras está empolgado com o desempenho de Alan Kardec no clube. Com 180 gols marcados pelo Verdão entre 1967 e 1974, César Maluco elogia a capacidade do atual goleador do time e o considera superior até ao titular da Seleção Brasileira.

“O Fred está jogando no Rio de Janeiro, no Fluminense, mas não tem comparação entre ele e o Kardec. Sou muito mais o Kardec do que a maioria. Tem o Jô também, que é merecedor, além de outros atacantes (para a Seleção)”, afirmou o ex-jogador alviverde, que teve passagem também pelo Tricolor carioca.

Kardec chegou ao Palmeiras em julho de 2013 e está emprestado pelo Benfica até o meio deste ano, podendo ser contratado de forma definitiva por um valor estipulado entre 5 milhões e 6 milhões de euros (entre R$ 16 milhões e 19 milhões), mas, no Verdão, acredita-se que o negócio pode ser fechado por menos.

Independentemente dos números que envolvem a negociação, César Maluco faz uma série de elogios e cobra a aquisição imediata do atacante, que é o artilheiro do time na temporada, com sete gols.

Alan Kardec foi exaltado por César Maluco, que pede para o Palmeiras acertar logo a permanência do atleta  (Foto: Alê Cabral/Agência O Dia)

“O Palmeiras já deveria ter comprado esse garoto. Eu sempre o admirei, desde que saiu como juvenil do Vasco, porque teve um trabalho de base bem feito. Vemos que ele cabeceia de olho aberto, sabe proteger a bola, tem visão de gol e colocação na área. Está na hora de o Palmeiras contratar o garoto, que é merecedor de vestir esta camisa”, declarou.

César Maluco ainda tem esperança de ver o atacante sendo lembrado para a Seleção Brasileira. “Ele poderia ter uma vaga, é merecedor também. Se tantos tiveram oportunidade, por que o Kardec não pode? Futebol é momento e o melhor no futebol brasileiro agora é ele. Não tem uma partida ruim e outra boa, ele é bem regular”, concluiu.